Fãs de Millie Bobby Brown pretendem processar UCCONX: 'Era o presente de aniversário da minha filha'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A jovem Eliza Medeiros, de 22 anos, arrecadou cerca de R$ 1 mil em rifas, além de mais R$ 1.500 em empréstimos, para realizar o sonho de ver de perto Millie Bobby Brown, intérprete da protagonista Eleven na série "Stranger things". O esforço foi em vão. Na noite da última quarta-feira (27), a catarinense de Criciúma — que tem uma tatuagem em homenagem à atriz — recebeu a notícia de que Millie não viria mais ao UCCONX, feira de cultura pop que acontece em São Paulo até o próximo domingo (31).

Christiane F.: O que aconteceu com a mulher que inspirou livro e filme há mais de 40 anos

Estreia na TV: 'Rensga Hits!', nova série do Globoplay, celebra a força do feminejo

O fato pegou de surpresa as centenas de pessoas que compraram ingressos para o evento apenas para conferir o painel com a estrela de "Stranger things". Mãe de uma das criadoras de um dos fãs-clubes dedicados a Millie Bobby Brown, Andrea Blum gastou R$ 2.100 só com as entradas, que dariam direito à conferência e a uma foto com a artista. Ela ainda desembolsou R$ 1.200 em passagens de ônibus para se deslocar do Rio de Janeiro até São Paulo. Agora, enfrenta dificuldades para conseguir o reembolso do bilhete.

— A comunicação do evento nos informou que a Millie não vem, mas que seremos direcionados para assistir a outro fulano (o ator Dacre Montgomery, intérprete do personagem Billie na série "Stranger things"). Mas ninguém quer ver esse outro fulano! — reclama Andrea. — Muitas pessoas vêm de fora e venderam coisas só para ver a Millie. Esse era o presente de aniversário pedido pela minha filha de 13 anos. Relutei muito, porque não tenho esse dinheiro. Mas fui lá, me espremi no cartão e fui parcelando esse valor... É um contexto arrasador, emocional e financeiramente.

O GLOBO entrou em contato com a assessoria de imprensa do UCCONX, mas ainda não obteve retorno. Nas redes sociais, funcionários acusam a empresa de manter salários atrasados e aplicar golpes em quem havia sido contratado pelo evento. A abertura do festival, na última quarta-feira (27) foi vazia, sem a presença de diversos estandes confirmados.

Ações na Justiça

O público se queixa da falta de clareza no cancelamento da presença de Millie. Inicialmente, a produção afirmou, em nota oficial, que a atriz estava com Covid — e que, por isso, não pôde vir ao Brasil. Em seguida, surgiu um novo comunicado: a atriz, a rigor, estaria com medo de contrair Covid em sua vinda ao país. No mesmo dia, o ator George Takei, de "Star Trek", também cancelou presença no evento, sob a justificativa de que o marido dele, Brad Takei, também contraiu Covid.

Como apurou o GLOBO, dezenas de pessoas já se mobilizam para entrar com ações na Justiça contra a empresa que organiza o evento. O contrato de ingresso estabelece que o público pode ter reembolso integral caso o cancelamento da compra do bilhete seja realizado sete dias antes do dia para o qual a entrada foi adquirida. A reclamação é que não houve tempo hábil para isso, desde que a suspensão do painel com Millie foi anunciada.

— Estou sofrendo... Gosto muito da Millie, estou morrendo de ansiedade, passando mal. Não consegui dormir direito. Isso tudo f*deu com o meu psicológico — conta Eliza Medeiros, que gastou R$ 3 mil em passagens de avião de Santa Catarina para São Paulo, e agora lida com dívidas depois de conseguir o estorno do ingresso. — Vou entrar com uma ação judicial, infelizmente. Se vou conseguir alguma coisa, já não sei... Mas vou fazer isso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos