Fórum pede mais transparência na América Latina para atrair investimentos

Axel van Trotsenburg, vice-presidente do Banco Mundial para a América Latina, em 12 de julho de 2013, em Manila

Representantes de organizações financeiras e governos pediram nesta terça-feira (21) maior transparência na gestão das finanças públicas dos países da América Latina, para atrair investimento privado para ajudar a preencher a lacuna de infraestrutura regional.

A economista senegalesa Seynabou Sakho, diretora do Banco Mundial para a América Central, alertou que o investimento público na América Latina alcançou uma média de 3,3% do PIB na última década, quando pelo menos 4,3% são necessários nos próximos 15 anos para cobrir as deficiências da região em infraestrutura.

"O investimento público é importante, mas não é suficiente, precisamos de investimentos privados para preencher as lacunas e isso requer transparência e prestação de contas", disse Sakho.

O economista participou da abertura do Fórum de Contabilidade e Responsabilidade para o Crescimento Econômico Regional (Crecer), patrocinado pelo Banco Mundial e pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento em San José.

"Fechar a lacuna de financiamento no setor de infraestrutura é crucial para aumentar o crescimento econômico e reduzir a pobreza na América Latina e no Caribe", acrescentou Axel van Trotsenburg, vice-presidente do Banco Mundial para a região.

Já a economista peruana Verónica Zavala, gerente do BID na América Central, disse que a instituição investiu mais de 17 bilhões de dólares em financiamento na região.

"Nós colocamos dezenas de bilhões, mas são necessários centenas de bilhões", afirmou.