F1 repudia racismo, homofobia e assédio sexual na Áustria

Arquibancadas do GP da Áustria tinham em sua maioria torcedores de Max Verstappen. Foto: Alessio De Marco/LiveMedia/NurPhoto via Getty Images
Arquibancadas do GP da Áustria tinham em sua maioria torcedores de Max Verstappen. Foto: Alessio De Marco/LiveMedia/NurPhoto via Getty Images

O Grande Prémio da Áustria ficou marcado por diversos relatos de situações de abuso ao longo do fim de semana, incluindo assédio sexual, além de comentários homofóbicos e racistas.

A corrida de domingo, a 11ª etapa da temporada 2022 da Fórmula 1, contou com mais de 100 mil torcedores, metade das quais vindas da Holanda, formando uma mancha laranja que apoiou Max Verstappen ao longo da prova.

Leia também:

Charles Leclerc ficou com o lugar mais alto do pódio, contando com um desempenho competitivo da Ferrari para levar a melhor sobre Max Verstappen, da Red Bull, que foi o segundo colocado. Lewis Hamilton completou o pódio na terceira posição

Mas o que ficou em evidência foram as denúncias de comportamentos impróprios que se multiplicaram e forçaram a própria F1 a pronunciar-se em comunicado.

“Tomamos conhecimento de relatos de que alguns torcedores foram alvo de comentários completamente inaceitáveis durante o Grande Prêmio. Levamos estas questões muito a sério e levamos este tema ao promotor do evento e à segurança. Este tipo de comportamento é inaceitável e não será tolerado”, dizia a nota.

Pilotos também se manifestaram sobre o tema e um dos mais revoltados foi o britânico Lewis Hamilton que teria ouvido aplausos após um acidente no treino de qualificação. O heptacampeão mundial falou no rádio sobre a decepção com o comportamento dos torcedores.

“Enojado e desapontado por saber que alguns fãs enfrentaram comentários racistas e homofóbicos e outro tipo de abusos no circuito este fim de semana. Assistir ao Grande Prêmio da Áustria, ou outro qualquer, não deve ser uma fonte de ansiedade ou dor para os fãs. Algo tem de ser feito de forma a que as corridas sejam seguras para todos”, escreveu o britânico.

Outro que se manifestou foi o queridinho da torcida durante o fim de semana, Max Verstappen. Ele também lamentou os episódios, mesmo sabendo que as bancadas estavam maioritariamente preenchidas por adeptos holandeses.

“Estas coisas não deviam acontecer. Li coisas verdadeiramente chocantes. Nem precisaria dizer isto, devia ser do senso comum. Estas coisas não podem acontecer”, escreveu.

Outro que costuma falar sobre assuntos polêmicos e disparou contra os torcedores foi o alemão Sebastian Vettel, que não mediu palavras para demonstrar sua indignação.

“Quem quer que sejam estas pessoas, elas deviam ter vergonha e deviam ser banidas para sempre. Devia haver tolerância zero. Se as pessoas estão a divertir-se e bebem demasiado, tudo bem, mas isso não justifica nem desculpa comportamentos errados”, disparou o experiente piloto alemão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos