F-E: Líder, Da Costa voa e é pole novamente em Berlim; Di Grassi é o melhor brasileiro em 6º

Guilherme Longo
·5 minuto de leitura

Depois de uma etapa perfeita do líder António Félix da Costa na quarta-feira, a Fórmula E já volta à pista da capital alemã em Berlim nesta quinta (06), para a segunda de seis provas no local. E apesar de não ter sido o mais rápido na fase de grupos, o português voou na Super Pole e largará na frente novamente nesta quinta.

Os pilotos correm novamente no traçado tradicional da etapa no aeroporto Tempelhof, porém no sentido inverso, uma novidade para a categoria.

Leia também:

Presidente da Fórmula E, Alejandro Agag testa positivo para Covid-19 F-E: Da Costa dispara na liderança após "barba, cabelo e bigode" em Berlim; veja classificação Fórmula E: Da Costa tem etapa perfeita em Berlim e amplia liderança após problemas dos principais rivais; Di Grassi é 10º

Na F-E, o treino classificatório é dividido em cinco estágios. Nos quatro primeiros, os 24 pilotos vão à pista, em sessões de seis minutos cada, divididos de acordo com a classificação do campeonato. Os seis primeiros saem no primeiro grupo, com a pista em condições piores e sucessivamente, até o último grupo, formado pelos últimos colocados na tabela.

Os seis melhores colocados vão para a Super Pole, onde cada um tem uma volta rápida na luta pela primeira posição. O treino classificatório distribui quatro pontos para o campeonato: um para o piloto que liderar as sessões de grupo e três para o pole position.

Nos treinos livres, o mais rápido foi o brasileiro Lucas di Grassi da Audi, com um tempo de 01min06s732.

Sessão de grupos

No primeiro grupo, foram à pista Stoffel Vandoorne, da Mercedes, o líder António Félix da Costa, da Techeetah, Mitch Evans, da Jaguar, Alexander Sims e Maximilian Günther, ambos da BMW e Sam Bird da Virgin, que subiu na classificação após a prova de ontem, tirando Lucas di Grassi do Q1.

Os pilotos foram à pista apenas nos dois minutos finais, fazendo apenas uma volta rápida cada.

Com 01min06s791, Da Costa fez a volta mais rápida desse primeiro grupo, seguido de Bird, a 0s357. O líder do campeonato foi o único do grupo a fazer um tempo na casa de 01min06s, mas ainda não superou a volta de Di Grassi no treino livre. Vice-líder do campeonato, Mitch Evans ficou em último no grupo, a mais de sete décimos do português.

Lucas di Grassi, da Audi, Edoardo Mortara, da Venturi, o bicampeão Jean-Éric Vergne, da Techeetah, Sébastien Buemi, da Nissan, Nyck de Vries da Mercedes e Andre Lotterer da Porsche compuseram o segundo grupo de classificação. Para o brasileiro, a troca de grupo poderia ter benefícios, já que ele não andaria em uma pista limpa, fator determinante nas classificações da F-E. Mas Di Grassi não conseguiu aproveitar totalmente a chance.

Buemi surpreendeu, marcando 01min06s779, superando a marca de Da Costa, enquanto De Vries ficou em terceiro e Di Grassi em quarto, sem conseguir repetir a marca do treino livre da manhã. Já o bicampeão Vergne ficou em quinto, correndo risco de ficar de fora da Super Pole.

No terceiro grupo, Oliver Rowland, da Nissan, Robin Frijns, da Virgin, Felipe Massa, da Venturi, James Calado, da Jaguar, Daniel Abt, pela NIO 333 e Jérôme D'Ambrosio, da Mahindra tentaram garantir sua vaga na Super Pole.

Dos seis, Frijns e Rowland conseguiram se colocar entre as colocações da Super Pole. O piloto da Virgin terminou em terceiro e Rowland em sexto. Com isso, Lucas di Grassi caiu para quinto e Vergne ficou de fora da Super Pole. Já Felipe Massa não fez uma boa volta, terminando em 16º no momento, com 18 carros tendo marcado tempos.

Fechando a sessão de grupos, Oliver Turvey, da NIO 333, Neel Jani, da Porsche, Nico Müller e Sérgio Sette Câmara, da Dragon, René Rast, da Audi e Alex Lynn, na Mahindra.

Lynn foi o grande destaque desse quarto grupo, encaixando uma volta excelente, terminando em terceiro, a 0s094 do tempo de Buemi. Com isso, Rowland acabou ficando de fora da Super Pole.

Com os resultados combinados dos quatro grupos, Felipe Massa terminou apenas em 18º, enquanto Sérgio Sette Câmara subiu com relação a ontem, com a 21ª colocação.

Super pole

António Félix da Costa, Sébastien Buemi, Lucas di Grassi, Alex Lynn, Nyck de Vries e Robin Frijns garantiram a participação na luta pela pole position, com seis carros de seis equipes diferentes: Techeetah, Nissan, Audi, Mahindra, Mercedes e Virgin. 

Os pilotos saem na ordem inversa do grid, do sexto até o primeiro colocado. O português da Techeetah mostrou novamente seu domínio e garantiu a segunda pole em Berlim com uma volta voadora de 01min06s442. Buemi, Lynn, De Vries e Frijns completaram o Top 5. Di Grassi não conseguiu uma boa volta e ficou apenas em sexto. 

No geral, Da Costa se beneficiou novamente dos problemas dos demais. Seu principal rival, Mitch Evans, colocou sua Jaguar apenas na 17ª colocação, enquanto Sims foi 15º, Vandoorne, 13º e Günther, 11º. Isso pode permitir que pilotos que estão um pouco mais atrás se juntem na luta pelas primeiras colocações, como Buemi, Di Grassi e Bird, que largará em nono.

A segunda corrida de Berlim está marcada para 14h, com transmissão pelo canal Fox Sports 2.

Volte em instantes para conferir a tabela de classificação completa.

Polêmica Racing Point, Silverstone e tudo o que você sempre quis saber de F1 com Rico Penteado

PODCAST: Qual é o tamanho da 'sorte' de Hamilton ao vencer com três rodas?

Your browser does not support the audio element.