F1: Diagnóstico negativo de Stroll na Alemanha foi feito pelo telefone; Lawrence Stroll também testou positivo

Jonathan Noble
·4 minuto de leitura

Em meio a questionamentos sobre a situação de Lance Stroll no GP de Eifel de Fórmula 1, o chefe da Racing Point, Otmar Szafnauer, afirmou que o diagnóstico de que o piloto não apresentava sintomas de coronavírus em Nurburgring foi feito por seu médico pessoal, mas a distância, pelo telefone.

O canadense já havia apresentado desconfortos estomacais após o GP da Rússia, mas os sintomas voltaram a aparecer em Nurburgring, com ele sendo substituído por Nico Hulkenberg a partir do treino classificatório.

Leia também:

F1: Grosjean e Magnussen anunciam saída da Haas ao final de 2020 Regi cita homenagem de Galvão, que chama Senna de "irmão mais novo" Hamilton lamenta saída da Honda e reforça importância de um esporte tecnológico e sustentável

Mas Stroll e a equipe estavam satisfeitos com o fato dele não estar com sintomas de Covid-19 após diagnóstico a distância, então ele não fez um teste antes de voltar à sua casa na Suíça. Esse teste que deu resultado positivo.

A situação de Stroll causou controvérsia e expôs potenciais furos no rígido protocolo que foi determinado pela F1 e a FIA.

Falando sobre porque Stroll não foi testado como precaução na Alemanha, Szafnauer disse que a equipe estava confortável com a situação após uma série de testes negativos antes do fim de semana, além do diagnóstico de seu médico pessoal, afirmando que ele não tinha coronavírus.

"Ele tinha desconfortos estomacais, consistentemente", explicou. "E Lance ligou para seu médico. O que eu poderia fazer? Em vez de me ouvir, ele ligou para seu médico. Eu não sou médico".

"Ele é o médico pessoal de Lance na Suíça. Foi uma ligação. E foi o mesmo cara que Lance viu após a Rússia. Após seus problemas estomacais na Rússia, testamos ele algumas vezes. Lance foi até a Suíça para ver o médico, então resolvemos ligar para ele".

Szafnauer disse que o veredito do médico deixou a equipe tranquila que não seria necessário testar Stroll ou os membros da equipe como forma de precaução".

"Olhando em retrospecto, é uma confusão. Mas não vamos esquecer que ele testou negativo antes do GP. Ele foi testado duas vezes após a Rússia e ambos deram negativos. Apesar dos sintomas estarem ali".

"Agora, foi o teste de domingo na Suíça que deu positivo. Mas temos que lembrar que, com a informação que tínhamos no momento, parecia desnecessário. Nem passou pela minha cabeça testá-lo".

Szafnauer também negou as sugestões de que a equipe não estava levando a sério os protocolos.

"Quero destacar primeiro que nós fizemos mais testes que todos os outros negócios no planeta. Não falo apenas das demais equipes da F1. Testamos cada funcionário duas vezes por semana na fábrica. Já fizemos mais de 15 mil testes com apenas seis positivos".

"Levamos o vírus mais a sério do que qualquer outro. Testamos todos nossos membros na chegada de um GP e mandamos eles para casa com a cabeça tranquila. Somos os únicos a fazer isso".

A FIA alterou os protocolos de Covid-19 a partir do GP de Portugal, com qualquer um que entre no paddock tendo que apresentar um negativo feito pelo menos 24 horas antes da chegada no circuito.

Após saber o resultado positivo de Lance, a rede britânica BBC confirmou também que, além do piloto, seu pai, Lawrence Stroll, dono da Racing Point, também testou positivo para Covid-19 após o GP de Eifel.

"O pai de Lance Stroll também testou positivo para o coronavírus. A equipe confirmou à BBC Sport que Lawrence Stroll foi submetido a um teste em sua casa na Suíça no domingo do GP de Eifel e o resultado de positivo. Ele ficou isolado desde então sem apresentar sintomas".

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Neste fim de semana, a F1 visita Portimão, para o GP de Portugal. A Racing Point vem sendo um dos destaques, em terceiro no Mundial de Construtores, mesmo depois dos problemas com os dutos de freio. Stroll e Pérez pontuaram em todas as etapas do ano. Pode ser uma boa para apostar no fim de semana!Quer saber mais? Confira o ThePlayer.com e não perca nada!

CEO da F1 cita outros esportes e diz que categoria não pode usar “camisa de força” contra mudanças

Podcast – O mercado da F1 para 2021 e os 30 anos do bicampeonato de Senna

Your browser does not support the audio element.