Fabiana Karla se vê militante ao existir: "Que o feminismo entenda que gorda é mulher"

Fabiana Karla em
Fabiana Karla em "Uma Pitada de Sorte". Foto: Divulgação/Fabio Bouzas

Resumo da notícia:

  • Fabiana Karla abre o coração sobre o combate à gordofobia

  • Em entrevista ao Yahoo, atriz reflete sobre representatividade na mídia

  • Atriz estrela como protagonista pela primeira vez em "Uma Pitada de Sorte"

Fabiana Karla celebra a primeira vez como protagonista no cinema numa conquista que se estende a terceiros. Símbolo de representatividade feminina, gorda e nordestina, ela estrela "Uma Pitada de Sorte" como uma animadora de festa infantil com talento na cozinha, que recebe uma oportunidade como chef na TV e quebra paradigmas.

Em entrevista ao Yahoo, a atriz reflete sobre seu papel como figura pública no combate à gordofobia, conceito abordado nas entrelinhas da trama. “Acho que a gente tem que combater qualquer coisa que gere dor. Recife é uma das primeiras cidades que implementou a lei contra a gordofbia e isso me deixa muito orgulhosa, porque é a terra onde eu nasci", inicia.

A atriz diz que não é porque não sofreu gordofobia explícita que pode fechar os olhos e achar que não está ao seu redor. “Eu vejo, percebo e tento combater do jeito que eu posso", completa.

Vim de outra geração, não sou uma militante pé na porta, sou uma militante existindo”Fabiana Karla

Representatividade

Fabiana pontua como sua imagem na mídia empodera meninas que podem ser protagonistas de suas vidas, já que corpos diferentes do padrão imposto pela sociedade ainda têm dificuldade de identificação. "Sou uma mulher gorda, nordestina, que, para uns, eu estou fora do padrão, mas estou ‘ok’ no meu padrão, estou na tela do cinema como protagonista", afirma.

“Estou a serviço da (luta contra a ) gordofobia nesse lugar [de representatividade]. A gente espera que os movimentos, como o antirracista, estejam de mão dadas, sabendo que pretas são gordas também. E que o feminismo entenda que gorda é mulher", completa.

Criar acessos para pessoas gordas na convivência em sociedade é outro meio de agir como alguém com voz na mídia. "Não tem macas adequadas nos hospitais para receber pessoas gordas maiores. A gente tem que ir mais adiante, fazendo esses pedidos para que no cinema, por exemplo, tenha uma cadeira para obesos. Essas pessoas pagam impostos, são indivíduos, são acometidos de doença”, reflete.

Minha militância é tentar criar acessos e estar na tela do cinema como uma mulher gorda, dizendo que as pessoas podem estar onde quiserem”Fabiana Karla

Para Fabiana Karla, a obesidade é uma doença crônica e permanente em sua vida e há formas diferentes de lidar com isso. Apesar de já ter se submetido a uma lipoaspiração há alguns anos, ela garante que a bariátrica, realizada para emagrecimentos severos, nunca foi uma opção. "Não quis fazer cirurgia de estômago, porque acho que não é para mim", relata.

Referências

Antes de se tornar inspiração, a atriz de 46 anos contou com referências de extrema relevância no universo da comédia. Embora aponte Derci como alguém que admirava, a atriz lembra de Jô Soares e Chico Anysio como os artistas que a fizeram se sentir, de fato, representada.

“O Chico, um nordestino de sucesso, e o Jô Soares, um homem gordo, elegante, inteligente. Eu sempre quis ser inteligente, porque acho que a inteligência confere todas as outras belezas”, explica.

Peguei os dois [Chico e Jô] e sentia que podia ser como essas pessoas. Me sentia um pedacinho de cada. É muito importante ter essa representatividade”Fabiana Karla

"Uma Pitada de Sorte"

Dirigido por Pedro Antônio Paes, o filme retrata Pérola (Fabiana Karla), uma animadora de festa infantil que sonha em se tornar uma chef renomada enquanto trabalha em um restaurante sem reconhecimento. A sorte vem para o seu lado quando ela é aprovada para ser auxiliar de um famoso chef na televisão. No entanto, a protagonista continua ajudando a mãe nos trabalhos com os aniversários e passa por alguns preconceitos ao longo do caminho.

Além de Fabiana Karla, "Uma Pitada de Sorte" conta com Regiane Alves, Jandira Maritni, Mouhamed Harfouch, Flávia Reis e JP Rufino no elenco. Longa chegou aos cinemas na quinta-feira (15). Confira o trailer: