Fabricante chinesa de drones suspende operações com Rússia e Ucrânia

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 14.11.2019 - O presidente russo, Vladimir Putin, durante reunião do Brics, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 14.11.2019 - O presidente russo, Vladimir Putin, durante reunião do Brics, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em um episódio raro até aqui envolvendo empresas da China, principal aliada do governo de Vladimir Putin, a fabricante de drones DJI disse nesta quarta-feira (27) que suspendeu suas atividades na Rússia.

A empresa afirma que a medida visa dar tempo para a revisão de condições de "compliance", no caso descobrir qual seria o dano para seus negócios em manter a operação russa.

Moscou está sob severas sanções ocidentais devido à Guerra da Ucrânia. A DJI é a maior produtora de drones comerciais do mundo.

A empresa também anunciou a suspensão de operações na Ucrânia. Kiev vinha acusando a DJI de vazar dados militares a Moscou, o que a fabricante chinesa nega veementemente.

Um porta-voz da DJI disse que a decisão desta quarta busca garantir que nenhum dos dois países usem os drones chineses em combate.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos