Facebook gastou bilhões de dólares para proteger Zuckerberg

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Em ações judiciais movidas no mês passado no Tribunal da Chancelaria de Delaware, dois grupos de acionistas citaram discussões internas entre os membros do conselho do Facebook, alegando que autorizaram um pagamento indevido de US$ 4,9 bilhões (R$ 27 milhões) da multa para proteger Zuckerberg, o co-fundador e maior acionista da empresa, e a COO Sheryl Sandberg. (Kevin Dietsch/Getty Images)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Gigante da internet teria pagado mais de 5 bilhões para proteger o CEO

  • Outros diretores da companhia foram protegidos com valor extra da multa

  • Acionistas estão preocupados com a imagem da companhia

O Facebook concordou em pagar bilhões de dólares extras, além de uma multa inicial solicitada pela Comissão Federal de Negócios (FTC, em inglês) em 2019 para proteger o CEO Mark Zuckerberg de responsabilidade pessoal relacionada a uma grande investigação de vazamento de dados, alegam acionistas em dois processos tornados públicos na terça-feira (21).

Leia também:

Em ações judiciais movidas no mês passado no Tribunal da Chancelaria de Delaware, dois grupos de acionistas citaram discussões internas entre os membros do conselho do Facebook, alegando que autorizaram um pagamento indevido de US$ 4,9 bilhões (R$ 27 milhões) da multa para proteger Zuckerberg, o co-fundador e maior acionista da empresa, e a COO Sheryl Sandberg.

"Zuckerberg, Sandberg e outros diretores do Facebook concordaram em autorizar um acordo multibilionário com a FTC como uma troca expressa para proteger o CEO de ser citado na reclamação da FTC, sujeito a responsabilidade pessoal ou mesmo obrigado a sentar-se para um depoimento", afirmou uma pessoa ligada ao assunto.

A FTC começou a investigar o Facebook em 2018 depois que surgiram revelações de que Cambridge Analytica, uma consultoria política do Reino Unido, acessou dados de até 87 milhões de usuários do Facebook sem sua permissão. A investigação da agência se concentrou em saber se a gigante da tecnologia violou um acordo legal que tinha com o governo dos Estados Unidos para manter os dados de seus usuários privados. A companhia tem usado o próprio aplicativo para melhorar a imagem do CEO.

Valores chegaram a quase US$ 6 bilhões

Zuckerberg foi citado como réu na ação em um projeto de queixa que a FTC enviou ao Facebook no início de 2019, alega o processo parcialmente redigido. A queixa alega que os advogados do Facebook determinaram que a empresa enfrentaria uma multa de cerca de US$ 107 milhões (R$ 537 milhões), mas o conselho da empresa concordou em pagar uma multa de US$ 5 bilhões (R$ 27 bilhões) em troca de impedir Zuckerberg e Sandberg de serem citados no acordo.

O processo observa que, no mesmo dia em que o acordo da FTC foi anunciado, a Comissão de Câmbios e Segurança (SEC, em inglês) anunciou que multaria o Facebook em US$ 100 milhões (R$ 533 milhões) como parte de um acordo vinculado à sua investigação sobre o manuseio dos dados pela rede social.

"O conselho nunca fez uma verificação séria da autoridade irrestrita de Zuckerberg", disseram acionistas em um dos processos. "Em vez disso, isso o capacitou, o defendeu e pagou bilhões de dólares dos cofres corporativos do Facebook para resolver seus problemas".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos