Facebook lança série sobre prevenção ao suicídio entre adolescentes no Brasil

Ana Beatriz Rosa

Em 2016, o youtuber PC Siqueira usou o seu canal para fazer um relato sobre a semana em que ele precisou lidar com ataques de pânico e ansiedade. No vídeo, ele contava como uma pequena frustração ou uma coisa aparentemente boba fazia o seu coração palpitar e servia de gatilho para pensamentos ruins que se tornavam incapacitantes.

Essa não era a primeira vez que o apresentador, que convive com a depressão crônica e o transtorno bipolar, falava abertamente sobre questões de saúde mental em seu canal. Desde 2014, ele compartilha suas experiências pessoais sobre o tema. Hoje, PC diz que aprendeu a lidar melhor com os seus limites, mas que ainda se sente frustrado por não conseguir ajudar tanto as pessoas que passam por isso.

"É algo que você vai ter que aprender a conviver por toda a sua vida. Hoje eu estou bem, mas na semana passada tive um piripaque e precisei me lembrar de coisas que eu já tinha aprendido", compartilhou em conversa com o HuffPost Brasil.

Para fazer ecoar e conscientizar a importância da saúdemental, principalmente entre jovens, PC Siqueira se uniu ao cineasta M.M. Izidoro e a psicóloga Karen Scavacini na campanha #EuEstou, que será lançada nas redes sociais nesta quarta-feira (12).

Com apoio do Facebook, a série online tem como objetivo promover a prevenção do suicídio entre adolescentes no Brasil. No País, a média de suicídio entre pessoas dos 15 aos 29 anos é de 5,6 mortes a cada 100 mil jovens — 20% acima da média nacional, segundo as pesquisas pesquisa Violência Letal contra as Crianças e Adolescentes do Brasil e Mapa da Violência: os Jovens do Brasil.

Os vídeos da campanha vão abordar temas como a depressão e a ansiedade, além de fornecer recursos para que os adolescentes possam criar redes de apoio para si mesmos e seus amigos.

"A prevenção ao suicídio é um trabalho de muitas mãos. Precisamos prestar atenção no jovem que sofre e certificar que ele seja acolhido em sua dor. Mas também...

Continue a ler no HuffPost