Fachin agradece Pacheco: História vai diferenciar 'defensores da democracia' dos 'cúmplices do populismo autoritário'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, disse nesta quinta-feira ter encaminhado uma mensagem de agradecimento pelo discurso feito pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), em prol da democracia e do sistema eleitoral brasileiro. A fala de Pacheco ocorreu nesta quarta-feira.

Segundo Fachin, a mensagem foi encaminhada a Pacheco "para expressar os mais elevados agradecimentos em nome do Tribunal Superior Eleitoral pelo pronunciamento firme e sereno" feito pelo presidente do Senado em defesa da democracia e do processo eleitoral.

— Essa atitude se deve ao fato que, em nosso modo de ver, os Anais da História escreverão no futuro os nomes em uma das seguintes duas listas: os defensores da democracia, na qual, de modo sobranceiro, se inscreve o senhor presidente do Senado Federal, senador Rodrigo Pacheco, e os cúmplices do populismo autoritário. Que vença a democracia. Que vença a paz e a segurança nas eleições — disse Fachin.

O discurso de Pacheco ocorreu na abertura da sessão do plenário do Senado nesta quarta. Ele afirmou que tem "plena confiança" no sistema eleitoral e que as urnas eletrônicas são motivo de "orgulho nacional".

— Como tenho repetido, pela presidência do Senado e do Congresso, em minhas falas nesta Casa e fora dela, eu tenho plena confiança no processo eleitoral brasileiro, na Justiça Eleitoral e nas urnas eletrônicas, por meio das quais temos apurado os votos desde 1996. Sei que essa posição é amplamente majoritária no Congresso Nacional — disse o presidente do Senado.

Pacheco não fez menções diretas ao presidente durante o discurso, mas defendeu o sistema eleitoral brasileiro e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que tem sido alvos frequentes de ataques de Bolsonaro. O chefe do Executivo questiona a lisura das eleições brasileiros e alega que o pleito é passível de fraude, embora especialistas afirmem que não registro de nenhuma fraude no processo eleitoral desde a implementação das urnas eletrônicas, há 25 anos.

Na terça-feira, Bolsonaro voltou a atacar ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a questionar o sistema eleitoral brasileiro. O presidente afirmou que o presidente do STF, Luiz Fux, está "equivocado" e que deveria ser investigado no inquérito das fake news por ter defendido as urnas eletrônicas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos