Fachin nega pedido para soltar Lula com base em ação de procuradores

REYNALDO TUROLLO JR.
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress
Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O ministro do STF Edson Fachin negou pedido de liminar para soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e anular seus processos da Lava Jato com base na alegação de suspeição dos procuradores.

Com a negativa, a defesa do petista pode recorrer à Segunda Turma. A decisão é desta quinta (29).

Leia também

O pedido de habeas corpus foi formulado no início deste mês e menciona as mensagens divulgadas pelo site The Intercept Brasil.

Os advogados de Lula requereram que as mensagens, que estão no STF depois de terem sido apreendidas pela Polícia Federal com um suspeito de hackeamento, fossem compartilhadas com esse processo.

Esse pedido também foi negado.

Também tramita na corte o pedido de suspeição do ex-juiz Sergio Moro, responsável pela condenação de Lula no caso do tríplex de Guarujá (SP). O petista foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro e teve pena reduzida para oito anos e dez meses pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ele está preso desde abril de 2018.

O julgamento do caso, que menciona as mensagens vazadas, deve ser retomado neste segundo semestre.