Faculdade de Direito da USP aprova ingresso por cotas raciais pelo Sisu

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Faculdade de Direito da USP, no largo São Francisco, aprovou o ingresso de alunos pretos, pardos ou indígenas através de cotas no Sisu (Sistema de Seleção Unificada), na última quinta-feira (30).

A oferta total de vagas através do Sisu também aumentou de 20% para 30%. Dez porcento das vagas serão reservados para alunos de escolas públicas e 20% para quem se autodeclarar preto, parda ou indígena.

A deliberação, feita após votação da congregação da faculdade, é válida para 2018 e será analisada anualmente. A distribuição não é permanente, podendo sofrer alterações em 2019 e nos anos seguintes, de acordo com a Faculdade de Direito. Para este ano (2017) a distribuição de vagas foi de 20% para alunos de escolas públicas.

O curso de Direito do Largo São Francisco tem 460 vagas, sendo 225 destinadas ao período diurno e 235 no noturno.

No última seleção do Sisu, a USP ofereceu 2.171 vagas, 20% do total da universidade através do Enem. Dessas vagas, 1.332 eram para escola pública e 327 para estudantes pretos, pardos e indígenas (que também sejam de escola pública).

Em notas nas redes sociais, o Centro Acadêmico da faculdade 9 de Agosto afirmou que "esta luta também não se esgota em si mesma, pois 70% dos ingressantes da Faculdade de Direito ainda passam pelo vestibular de ampla concorrência da Fuvest, que persiste sem adotar um sistema de reserva de vagas efetivo, excluindo grande parte dos que não tiveram a chance de estudar em escolas particulares ou em cursinhos de renome."