Faixa arrancada, separação, beijos polêmicos, ciúme: Miss Bumbum tem barraco desde a primeira edição

·3 minuto de leitura

Arrancar a faixa de uma candidata no Miss Bumbum é quase um pré-requisito para a grande noite de premiação. Não foi apenas Taty Sindel que ficou insatisfeita com sua colocação no concurso que elege o melhor derriére da temporada. Em 2018, a representante de Rondônia, Ellen Santana foi eleita a Miss Bumbum daquele ano. Mas a coroação terminou em barraco (como não?). Aline Uva, do Rio Grande do Sul, não gostou de ver a amiga recebendo o prêmio e simplesmente arrancou a faixa.

Aos berros, como pede um bom barraco, a gaúcha acusou a colega de participar do concurso com um bumbum artificial, o que não é permitido. "Eu cumpri todas as regras do jogo. O meu bumbum é verdadeiro. Mas a bunda dela é de plástico!", acusou: "O Miss Bumbum é uma farsa. Hoje eu pude comprovar tudo isso". Na época, assim como agora, a organização negou qualquer tipo de participação fraudulenta. Já mais calma, alguns momentos depois, Uva devolveu a faixa a Ellen.

Em 2017, a vencedora Rosie Oliveira se separou do marido para participar do concurso. na época, ele deu a ela um ultimato: ou a bunda ou ele. Ela foi eleita, então o marido perdeu a disputa. Na mesma noite da premiação, mais um momento constrangedor para uma vencedora do Miss Bumbum.

Após o anúncio do resultado, enquanto posava para fotos, um homem --com copo de cerveja na mão e aparentemente embriagado se aproximou e passou-lhe a mão no bumbum premiado. Ela, assustada, deu um tapa na cara do sujeito. "O que ele fez é machismo e é exatamente isso que eu quero combater. Não é porque eu sou Miss Bumbum que posso ser desrespeitada", reclamou na época. Hoje, a miss é coach motivacional.

Na mesma edição, a representante do Rio de janeiro acusou a do Pará de também ter bunda de plástico. A organização então pediu um raio-x para Andréa Prata, dona do maior quadril com 107 cm. E nada encontrou de silicone.

Em 2013, quando ainda não havia todo o clamor pela diversidade dos corpos, a candidata Andréia do Valle , do Piauí, foi desclassificada por ter infringido uma regra do concurso: ela engordou dois quilos e perdeu a chance de ser uma Miss Bumbum.

Casos de desclassificação no concurso não são raros. Em 2017, a concorrente Liziane Gutierrez foi limada por mostrar procedimentos estéticos feitos para o concurso no site "TMZ". Em 2014, Livia Santos, que reprsentava o Tocantins foi acusada de fraudar a votação com um programa de votação automática na internet. Ela negou e disse que foi extorquida em R$ 30 mil.

Em 2013, muitas acusações promoveram o concurso. A ganhaora Dai Macedo disse que a vice Eliana Amaral tinha solicone no bumbum, uma acusação clássica entre as concorrentes. Nada foi provado. No mesmo concurso, ela quase não recebe a faixa da Miss Bumbum 2012, Carine Felizardo, porque ela se sentia preterida pela organização., que badalou a maior representante do concurso até hoje, sua vice Andressa Urach.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos