Fake news sobre vacinação, elogios a Pinochet e homofobia: Veja o que Bolsonaro compartilha no WhatsApp

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Presidente Jair Bolsonaro segura celular em evento no Palácio do Planalto
Presidente Jair Bolsonaro divulga fake news a lista de transmissão no WhatsApp (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
  • Fake news, elogio a ditadores e homofobia são alguns dos assuntos compartilhados por Jair Bolsonaro no WhatsApp

  • Material obtido pelo jornal O Globo tem ainda mensagens com teor anticomunista

  • Divulgação indica uso de lista de transmissão

O presidente Jair Bolsonaro divulgou a seus contatos vídeos com elogios ao ditador chileno Augusto Pinochet, disseminação de fake news sobre a vacinação de jovens, piadas homofóbicas, além de mensagens com teor anticomunista.

O material do WhatsApp foi obtido pelo jornal O Globo. Diferentes pessoas do círculo de Bolsonaro receberam o mesmo conteúdo entre quinta-feira da semana passada e ontem, por meio de um número adquirido recentemente.

Leia também:

As mensagens enviadas até a importantes autoridades da República indicam o uso de uma lista de transmissão.

Em uma mensagem de anteontem, o presidente divulgou uma fake news sobre a vacinação: “Jovens morrendo com a Pfizer.” Em seguida, ele compartilhou vídeo: “Riscos — Precisam investigar! Jovens morr3ndo de parada card1aca (sic)”. O vídeo tem ainda uma inscrição “Bolsonaro tem razão”.

O vídeo reproduz uma fala da comentarista Cristina Graeml, do programa “Os Pingos nos Is”, da rádio Jovem Pan, na qual ela cita cinco casos de adolescentes que morreram recentemente, lançando dúvidas sobre a aplicação de doses da Pfizer. Duas das mortes, porém, eram de adolescentes que sequer haviam sido vacinados.

O material foi disparado por Bolsonaro justamente no dia em que o governo voltou atrás e decidiu liberar a imunização de adolescentes, desaconselhada pelo Ministério da Saúde na semana anterior.

A CPI da Covid no Senado apura a demora do governo federal na compra da vacina da Pfizer. No total, 86 emails enviados pela farmacêutica ficaram sem resposta do Ministério da Saúde.

Elogios a Pinochet

Em outra mensagem, Bolsonaro deu a entender que, se a esquerda voltar ao poder, o Brasil terá um destino preocupante.

Vídeo compartilhado pelo presidente Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)
Vídeo compartilhado pelo presidente Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)

“Quando os chilenos verem (sic) o que é o comunismo, quando entenderem as trapaças, as falácias, como estão enganando, vão se dar conta de que este governo tem razão”, diz a legenda em português do discurso de Pinochet compartilhado por Bolsonaro. Em seguida, aparecem imagens de protestos recentes no Chile, antes de o filmete retornar a Pinochet, que finaliza: “Isso nunca foi uma ditadura, senhores. Esta é uma ditabranda (ditadura branda). Mas, se necessário, teremos que apertar a mão, porque temos que salvar primeiro o país e depois olharemos para trás”.

Homofobia

O presidente Jair Bolsonaro também compartilhou um conteúdo que mostra pessoas aparentemente num protesto por direitos da comunidade LGBT queimando uma bandeira do Brasil, acompanhado da legenda: “Essa turma toda quer ‘o cara’ voltando ao poder”.

Na madrugada do último domingo, Bolsonaro remeteu um vídeo no qual o músico Rogério Skylab diz ter tido relações homossexuais sem, no entanto, considerar-se gay: “Já dei três vezes, mas sou hétero”. Logo depois, Bolsonaro completa: “Até três vezes pode.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos