Fala de Bolsonaro contra Bruno Covas foi desleal contra quem sequer pode se defender, diz Ricardo Nunes

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 05.07.2021 - O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB). (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 05.07.2021 - O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB). (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

TÓQUIO, JAPÃO (FOLHAPRESS) - Vice de Bruno Covas (PSDB) até a morte do então prefeito, em maio, Ricardo Nunes (MDB-SP) diz que o ataque feito pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi desleal.

"A cidade de São Paulo ainda sofre com a perda do prefeito Bruno Covas e com o sentimento da dor vê uma fala agressiva, desnecessária e desleal com quem sequer pode se defender, e sempre agiu corretamente no combate a pandemia", afirmou Nunes à coluna Painel, da Folha de S.Paulo.

Na semana passada, Bolsonaro criticou Bruno Covas durante conversa com apoiadores. “O outro, que morreu, fecha São Paulo e vai assistir a Palmeiras e Santos no Maracanã”, disse.

Em janeiro deste ano, Covas viajou para o Rio de Janeiro para ver a final da Copa Libertadores, no Maracanã.

Após receber críticas pela atitude durante a pandemia, ele foi às redes explicar o episódio e disse que, depois de "tantas incertezas sobre a vida", a felicidade de ir com o filho para ao estádio "tomou uma proporção diferente".

Aos 41 anos, Covas morreu em maio, cerca de quatro meses após a partida, em decorrência de um câncer.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos