Fala de Paes sobre Dilma gera críticas de petistas: 'Desnecessário e deselegante', diz Quaquá

Paulo Cappelli 
·1 minuto de leitura
Divulgação
Divulgação

RIO - Enquanto o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) tenta se vincular ao presidente Jair Bolsonaro para se reeleger, o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) aceita de bom grado o apoio de partidos de esquerda como o PT. Mas no debate de ontem, na Band, uma fala de Paes incomodou profundamente petistas que, hoje, fazem campanha para ele.

Ao rebater números apresentados por Crivella sobre a pandemia do novo coronavírus no Rio, Paes afirmou:

— Lembrou até a ex-presidente Dilma, de quem você foi ministro, confundindo os números.

A fala foi imediatamente contesta em grupos de WhatsApp de petistas. No segundo turno, o PT decidiu apoiar Paes, com direito à declaração do presidenciável Fernando Haddad no Twitter.

— Foi totalmente desnecessária e deselegante essa gracinha com a Dilma que o Eduardo Paes fez. Não chega a reduzir o apoio do PT a ele, porque o mais importante neste momento é derrotar o Crivella. O PT sabe diferenciar. Mas foi desnecessário e deselegante da parte dele — disse o vice-presidente nacional da legenda Washington Quaquá, cacique do partido no estado.