Falas homofóbicas de Sikêra Jr não param de repercutir nas redes, e apresentador perde mais patrocinadores

·1 minuto de leitura

As manifestações virtuais em repúdio às declarações homofóbicas do apresentador Sikêra Junior, da Rede TV!, não param de crescer nas redes sociais. Na tarde desta sexta-feira, dia 2, o movimento #DesmonetizaHomofobia — que pretende chamar atenção das empresas que patrocinam o programa e o apresentador — esteve entre os assuntos mais comentados no Twitter.

Marcas como Motorola já anunciaram remoção dos anúncios. O movimento dos internaturas começou com a hashtag #DesmonetizaSikera, levantada pelo Sleeping Giants Brazil — movimento de consumidores contra o financiamento de discurso de ódio e fake news —, e tem a intenção de provocar outras empresas que demonstram posicionamento favorável à luta LGBTQIA+ a desvincularem suas propagandas de propagadores de discurso de ódio e fake news.

No programa "Alerta nacional" do dia 25 de junho, o apresentador Sikêra Junior associou o crime de pedofilia e uso de drogas à homossexuais e disse ainda outras frases discriminatórias. Com a repercussão do caso, o Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma ação civil pública contra Sikêra Júnior e a RedeTV, emissora que veicula o programa, pelas falas preconceituosas.

Para calcular o valor da indenização, o MPF levou em consideração o tamanho da emissora (são 44 afiliadas e 600 retransmissoras), é um programa de TV aberta e fechada com alcance nacional, e ainda citou que o réu (Sikêra Jr) já disse no ar que seu rendimento é aproximadamente de R$ 1 milhão.

Entre outros pedidos estão a remoção na íntegra do programa em que as falas discriminatórias foram ditas e a exigência de retratação do apresentador e da emissora, com a mesma duração e no mesmo horário em que as ofensas foram ditas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos