Faleceu a jornalista norte-americana Barbara Walters

Faleceu a jornalista norte-americana Barbara Walters

Faleceu a jornalista norte-americana, Barbara Walters. Tinha 93 anos.

A notícia foi avançada pela cadeia ABC, a casa onde Walters trabalhou por mais de cinco décadas e onde se tornou pioneira na apresentação feminina de jornais televisivos em horário de prime time.

Barbara Walters entrevistou todos os presidentes americanos desde Richard Nixon e inúmeros dirigentes estrangeiros, assim como as grandes estrelas de Hollywood.

Foi premiada com 12 Emmys, tornando-se ela própria uma celebridade.

Esta lenda do panorama da radiodifusão americana tinha dito adeus em 2014, com um "à bientôt" em francês, após mais de 50 anos de televisão. Tinha na altura 84 anos de idade.

O canal americano não indicou a causa de morte nem especificou onde Barbara Walters morreu.

Até então, Barbara Walters tinha entrevistado todos os presidentes americanos desde Richard Nixon a Barack Obama, líderes estrangeiros como Saddam Hussein, Anwar Sadat e Fidel Castro, o Dalai Lama e outras celebridades como Bette Davis e Angelina Jolie.

Ela própria se tornou uma celebridade no mundo das notícias americanas, especialmente no programa diário "The View", que criou em 1997 na ABC.

Quando partiu, em 2014, disse estar feliz por ter sido pioneira numa profissão há muito reservada aos homens. Hillary Clinton veio prestar-lhe homenagem, bem como a apresentadora e produtora de televisão Oprah Winfrey e cerca de 20 mulheres jornalistas de televisão.

Em 1976, ela foi a primeira mulher a apresentar o ABC Evening News, ganhando um salário sem precedentes de 1 milhão de dólares por ano.

Dois anos antes, ela tinha co-apresentado um programa matinal na NBC. Mas tinha sido um "fracasso". Barbara Walters disse 40 anos mais tarde: "O meu co-apresentador masculino não queria um parceiro feminino e a audiência também não".

Walters deixou a sua marca com as entrevistas de estilo único, de Vladimir Putin e Michael Jackson a Margaret Thatcher e Indira Gandhi.

O seu maior orgulho foi ter ajudado a trazer as mulheres jornalistas para a televisão. "Se eu fiz alguma coisa para ajudar nisso, esse é o meu legado", dizia em 2014.