Falha de energia interrompe trens da CPTM entre Barra Funda e Perus nesta terça

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A circulação de trens da linha 7-rubi da CPTM entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Perus, em São Paulo, foi interrompida na manhã desta terça-feira (20) devido a problemas técnicos no sistema de energia.

A falha afetou oito estações desde o início das operações. As demais linhas funcionam normalmente.

Segundo a companhia de trens metropolitanos, o problema começou às 19h desta segunda-feira (19) em um transformador na subestação de Tietê. A operação está em processo de normalização desde as 10h20 e as causas serão investigadas. "O foco neste momento é normalizar totalmente a operação", informa a empresa paulista, em comunicado oficial.

"Por conta da grande quantidade de pessoas que estão aguardando os trens nas plataformas das estações afetadas, a CPTM adotará controle de fluxo de passageiro para garantir a segurança de todos no embarque."

A falha de energia ocorreu entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Brás. Equipes técnicas atuam desde o início da manhã para resolver o problema.

Ônibus da operação Paese (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência) foram acionados para transportes os passageiros.

Nas redes sociais, passageiros relataram as dificuldades nas estações afetadas pela paralisação e também para utilizar os ônibus do Paese.

Em entrevista ao Bom dia São Paulo, da TV Globo, o gerente geral de Operações da CPTM, Vagner Rodrigues, informou que ainda não se sabe a causa do curto-circuito. "Existe um trabalho na região da Barra Funda para implementação do sistema da Linha 13 e da Linha 11, mas a gente ainda não pode afirmar que esse curto tenha relação com essa obra", relatou Rodrigues.

De acordo com o gerente geral, a operação Paese foi acionada à 4h50, "exatamente quando caiu efetivamente a energia".

"Desde o começo do problema, já entramos com nosso sistema de informação, inclusive no site, aplicativo e estações, informando quais os trechos interrompidos e indicando que aquele trecho seria atendido por Paese", disse.

Em relação a demora para a chegada dos ônibus da operação, Rodrigues afirma que isso está relacionado ao longo trajeto que os veículos precisam fazer até as estações.