Falso: gráfico de “prisões arbitrárias" de conservadores publicado por Weintraub não tem relação com o tema

·1 minuto de leitura
  • Afirmação do ex-ministro da Educação é falsa

  • Gráfico foi publicado em 2010 na Wikipédia

  • Os dados não tem relação com um suposto aumento de prisão de grupos políticos conservadores

Às vésperas do ato com pautas antidemocráticas convocado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub publicou em seus perfis nas redes sociais um gráfico que supostamente apresentaria dados sobre a evolução do número de prisões de conservadores ao longo dos anos. O post tem a seguinte descrição: “Gráfico com a evolução do número de prisões arbitrárias, violações de lares e processos inconstitucionais contra conservadores. Vai piorar”. A alegação é falsa.

Captura de tela da publicação feita pelo ex-ministro em seu perfil no Instagram (Foto: Instagram/Reprodução)
Captura de tela da publicação feita pelo ex-ministro em seu perfil no Instagram (Foto: Instagram/Reprodução)

Por meio de uma busca reversa de imagem, o Yahoo! Notícias verificou que o gráfico utilizado pelo ex-ministro foi publicado originalmente em 16 de janeiro de 2010 na Wikipédia com o título “xbar chart for quality characteristic XXX”. No verbete do site, o autor do artigo explica que esse gráfico, conhecido como gráfico de controle, é utilizado para monitorar média e o intervalo de uma variável.

Gráfico foi publicado originalmente na Wikipédia em 2010 (Foto: Wikimedia Commons)
Gráfico foi publicado originalmente na Wikipédia em 2010 (Foto: Wikimedia Commons)

Leia também:

Ao comparar a arte original com a imagem usada por Weintraub é possível verificar que algumas informações de identificação foram suprimidas no post do ex-ministro, como o título do gráfico e a média de valores.

O conteúdo também foi analisado pela AFP e Agência Lupa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos