Falso produtor de TV é preso após perseguir mulheres

De acordo com a emissora, o homem nunca foi funcionário da empresa. Foto: Reprodução/Facebook
De acordo com a emissora, o homem nunca foi funcionário da empresa. Foto: Reprodução/Facebook

Um homem que se passava por produtor da Record TV para perseguir mulheres foi preso temporariamente na última sexta-feira (14) durante a Operação Stalker, que foi deflagrada pelo MP (Ministério Público).

De acordo com as investigações, Agnaldo Santos Pereira Júnior se passava por funcionário da empresa e usava perfis falsos em uma rede social para conseguir conversar com algumas modelos, assessoras de imprensa e produtoras. A emissora, por sua vez, diz que o homem nunca foi funcionário da empresa.

Quando o falso produtor conseguia, finalmente, falar com as mulheres, ele oferecia vagas de emprego que não existiam. Em troca, ele exigia que as mulheres mandassem fotos íntimas para ele e também pedia por sexo.

Leia também:

Depois que levava uma negativa das mulheres, ele começava com ameaças. Ele chegava a ligar no trabalho das vítimas para falar com chefes e colegas de trabalho delas. De acordo com o MP-SP, uma das mulheres chegou a receber mais de 20 ligações dele em uma semana.

Uma outra mulher que foi perseguida por ele, segundo o Ministério Público, recebeu uma mensagem ameaçadora do falso produtor. Nela, ele dizia: "Ou eu, ou você, vai morrer". Com Júnior preso, as promotoras Gabriela Manssur e Fernanda Raspantini Pellegrino adotarão as demais providências em relação ao caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos