Falso: remédio em desenvolvimento pela Pfizer não é semelhante à ivermectina

·2 minuto de leitura
  • Antiviral desenvolvido pela Pfizer não possui semelhança com vermífugo

  • Farmacêutica anunciou o início do estudo clínico do medicamento em março deste ano

  • Não existem estudos científicos que demonstrem a eficácia da ivermectina contra a Covid-19

Circula pelo Telegram e Twitter publicações alegando que a Pfizer estaria desenvolvendo um medicamento com propriedades semelhantes à da ivermectina. um remédio Grupos antivacina compartilharam no Telegram. “Pronto, problema resolvido! Pfizer lança “Pfizermectine” para profilaxia da Covid. A partir do lançamento deste clone patenteado da ivermectina, ex-vermífugo genérico, o tratamento da Covid-19 ‘milagrosamente’ passará de demonizado a incentivado”, diz mensagem compartilhada em grupo antivacina no aplicativo de mensagem que, até o momento da publicação desta reportagem, tem 9.542 membros.

Desinformação foi compartilhada em grupo do Telegram com mais de 9 mil usuários (Foto: Telegram/Reprodução)
Desinformação foi compartilhada em grupo do Telegram com mais de 9 mil usuários (Foto: Telegram/Reprodução)

Um outro tuíte compartilhado por uma figura pública que apoia o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), também replicou a alegação enganosa. As duas publicações analisadas pela reportagem do Yahoo! Notícias compartilharam o link de um site opinativo de extrema direita. Ao acessar o site pelo Twitter, a plataforma informa que o conteúdo foi identificado pela empresa ou parceiros “como sendo potencialmente spam ou inseguro”. Em fevereiro de 2020, o Twitter anunciou o banimento do perfil deste site na rede social após a conta publicar na página um artigo que associava o pandemia de Covid-19 a um cientista chinês.

Twitter baniu site linkado nos posts por ser
Twitter baniu site linkado nos posts por ser "potencialmente inseguro" (Foto: Twitter/Reprodução)

Leia também:

Em março de 2021 a Pfizer anunciou o início do estudo clínico de antiviral contra a Covid-19. Em julho deste ano a farmacêutica publicou em seu site e nas redes sociais o anúncio sobre a progressão do ensaio para a segunda e terceira etapa de testes. Chamado de PF-07321332, o medicamento atua como um inibidor de protease que impede o vírus de se replicar nas células.

Mensagem enganosa publicada no Twitter sobre o antiviral desenvolvido no tratamento contra a Covid-19 (Twitter/Reprodução)
Mensagem enganosa publicada no Twitter sobre o antiviral desenvolvido no tratamento contra a Covid-19 (Twitter/Reprodução)

“Com base na experiência da Pfizer no desenvolvimento de antivirais, incluindo um inibidor de protease para o tratamento do HIV, os cientistas da Pfizer iniciaram um programa de descoberta de medicamentos no início de 2020, logo após o surgimento da Covid-19, com o objetivo de identificar um tratamento potencial para reduzir o impacto do Covid -19 nas vidas dos pacientes e preparar melhor o mundo para futuras ameaças de coronavírus. Avaliamos inicialmente nosso robusto portfólio de terapêuticas e rastreamos alguns dos compostos de nosso programa pré-clínico de inibidor de protease SARS 1 de 2003 , dadas as semelhanças entre as estruturas das proteases SARS-CoV-1 e SARS-CoV-2”, diz a empresa no comunicado.

O medicamento desenvolvido pela farmacêutica norte-americana não possui semelhanças com a ivermectina em sua composição ou na forma que atua no organismo. Atualmente a Universidade de Oxford conduz pesquisas sobre os efeitos da ivermectina no tratamento contra a Covid-19. Um dos estudos investiga o impacto do medicamento em pacientes com a doença, mas ainda não há resultados preliminares.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos