Falta de apóstrofo em post do Facebook pode custar mais de R$ 1 milhão a corretor de imóveis

·1 minuto de leitura

CAMBERRA — Um agente imobiliário de Nova Gales do Sul, na Austrália, está sendo processado por difamação após um erro de digitação em um post no Facebook. O processo pode custar até 250 mil dólares australianos, mais de R$ 1 milhão na cotação atual.

O autor do post foi Anthony Zadravi. Ele teria deixado de incluir um apóstrofo em uma palavra, mudando o sentido de uma frase numa reclamação que fez na rede social em 22 de outubro. Na publicação, ele escreveu em einglês que outro agente imobiliário estava "vendendo casas de milhões de $ (sic) em Pearl Beach, mas não podia pagar a aposentadoria de seus funcionários".

O processo sugere que o corretor pretendia colocar um apóstrofo após a palavra funcionários (employee, em inglês). Dessa forma, ele estaria apenas se referindo à sua experiência pessoal. Para a Justiça, porém, o post publicado sugere “um padrão sistemático de conduta”.

— Deixar de pagar o direito à aposentadoria de um funcionário pode ser visto como lamentável, mas deixar de pagar alguns ou todos parece deliberado — disse a juíza Judith Gibson em entrevista à agência de notícias AP na última quinta-feira.

A defesa do corretor argumentou que o processo deveria se suspenso por ser "trivial" e alegou que a postagem foi escrita por volta das 22h30 e excluída após 12 horas, de forma que não seria capaz de difamar alguém. A Corte, porém, decidiu dar prosseguimento ao caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos