Falta de chuvas e calor preocupam agricultores franceses que temem seca

A falta de chuvas e o calor atípico para esta época do ano na França começam a preocupar agricultores e ganham destaque nos jornais desta quarta-feira (11). O inverno francês quase não teve precipitações e a primavera, que começou em março, já está sendo considerada uma das mais quentes da história recente.

O jornal Libération é categórico e afirma que "as colheitas de verão serão catastróficas". "Estamos apenas no começo de maio e a seca já ameaça o país", alerta.

De acordo com a publicação, o lençol freático, alimentado durante os meses de setembro e abril, já tem um défict de 20% este ano e 15 departamentos estão em "alerta" ou "alerta reforçado" para a seca.

Apesar de "globalmente controlada" por monitoramento, segundo o Ministério da Agricultura francês, a falta de chuvas já causa tensão em agricultores de trigo e cevada. Os temores sobre os resultados destes setores na Europa este ano é grande porque a guerra da Ucrânia perturbou a produção de cereais.

Le Monde diz que nesta semana e na próxima a França vai ter temperaturas de verão com episódios de calor precoce. Em várias regiões do centro e do sul do país, os termômetros podem chegar a 30°C, ultrapassando em 9 graus as temperaturas normais para essa época do ano, com relação à média observada entre 1981 e 2010. "Com as mudanças climáticas, este período de referência, parece não ser mais adequado e deve mudar", lamenta o jornal.


Leia mais

Leia também:
Mundo avança de “olhos fechados para catástrofe climática”, diz secretário-geral da ONU
Janela para enfrentar mudança do clima está se fechando e os mais pobres são os mais atingidos

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos