Falta de vidro prejudica produção e consumo de cerveja

·2 min de leitura
Brasil é o terceiro maior produtor de cerveja do mundo, segundo dados da Sindcerv (Alexander Ryumin\Getty Images)
Brasil é o terceiro maior produtor de cerveja do mundo, segundo dados da Sindcerv (Alexander Ryumin\Getty Images)
  • Retomada econômica, vacinação e falta de matéria prima ameaça consumo de bebidas alcoólicas

  • Empreendedores relatam falta de vidro e buscam alternativas

  • Fabricantes planejam investir em produção para atender demanda nacional.

Você pode estar com a sensação de que já leu ou ouviu esta notícia a antes. E você está certo. Mais uma vez o comércio de cervejas e bebidas sente o impacto da falta de vidro no mercado nacional e os motivos continuam o mesmo.

A vacinação da população, o consequente retorno dos clientes aos bares e a falta de matéria prima para o vidro pode causar a falta de cervejas nas gondolas dos mercados.

Leia também:

Segundo informações da Abividro (Associação Brasileira das Indústrias de Vidro), obtidas pelo G1, o Brasil não teve investimentos na planta fabril e perdeu capacidade de produção. A situação veio a tona no final do ano passado, com a proximidade das festas de fim de ano e retorna este ano com a aproximação do verão 2022.

Que situação

Em entrevista ao site O Dia, o sócio e fundador da rede Blá Blá Champanheria, João Diniz, comenta a falta de produção de bebidas por conta da falta de vidro. "Tem o produto, mas não tem garrafas para envasar o vinho. Então, muitas vezes, eu fico sem o item na rede Bla Blá justamente pela falta do vidro. E também tivemos um acréscimo de 20% no valor do produto final por conta dessa dificuldade", contou Diniz.

O empreendedor, Thiago Hyashida, dono do restaurante Mirai, contou ao G1, que busca alternativas quando não encontra cervejas no mercado ou distribuidora. "Usamos outras marcas ou latas. Tentamos não deixar o cliente sem opção", disse Hyashida.

A mais pedida

O Brasil é o terceiro maior produtor de cerveja no mundo com uma produção anual de 13,3 bilhões de litros, segundo dados da Sindicerv (Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja).

Último gole

A saída para a escassez de matéria prima está a caminho, mas vai demorar um pouco. A Verallia informa que investirá cerca de R$ 387 milhões para passar a produzir 2,5 milhões de garrafas em sua fábrica em Jacutinga (MG).

Já a Owens-Illinois prevê investir aproximadamente R$ 1 bilhão em duas novas fábricas próximas ao Rio de Janeiro e São Paulo.

Com informações do G1 e O Dia.