Falta de funcionários faz Ibama fechar por dois dias único centro para receber animais silvestres no Rio

Marcos Nunes
·2 minuto de leitura

Rio — O único abrigo do governo federal capacitado para receber aves, répteis e mamíferos apreendidos pela polícia no Estado do Rio de Janeiro, permanecerá fechado por pelo menos dois dias. Localizado em meio a uma reserva florestal, e pertencente ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama), o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Seropédica (Cetas), na Baixada Fluminense, que serve como estadia para os bichos se recuperarem de ferimentos causados pelo tráfico de animais, ficou de portas fechadas nesta terça-feira, dia 23.

E deve permanecer assim até esta quarta-feira, dia 24. O motivo é a falta de funcionários. Nesta terça-feira, os três únicos servidores do órgão foram prestar depoimento na Superintendência da Polícia Federal (PF) do Rio. A PF investiga a morte de cerca de 600 animais no local por falta de tratadores.

A informação foi revelada, nesta segunda-feira, pelo "RJ TV", da TV Globo. De acordo com as denúncias recebidas pela PF, por conta do fim de um contrato de prestação de serviços, de uma empresa terceirizada, o centro de triagem está sem tratadores há aproximadamente 50 dias. Neste período, os servidores, que seriam analistas ambientais, fazem o que podem para manter o Cetas, que tem capacidade para receber 1 mil animais. Eles se revezaram para alimentar e cuidar como podem os bichos, já que o único veterinário do local estaria de férias.

Números: href="https://oglobo.globo.com/rio/assessores-de-deputados-licenciados-continuam-na-alerj-24892198">Assessores de deputados licenciados continuam na Alerj

Com pouco pessoal disponível, restou a répteis, mamíferos e aves conviverem com sujeira e até pouca comida. Nesta terça-feira, o abandono era constatado por quem passasse em frente a entrada do centro de triagem. Sucatas de pelo menos três carros do Ibama e dezenas de gaiolas, que um dia abrigaram animais apreendidos, podiam ser vistos em meio a um matagal, em um terreno, ao lado do pátio, na parte interna do Cetas. Segundo um funcionário, há cobras, macacos, tucanos, araras e até uma seriema abrigados no local.

Nesta terça-feira, mesmo dia em que equipes do Ibama estiveram no Cetas para uma inspeção que ocorreu, entre 8h30 e meio-dia, policiais federais ouviram três funcionários que trabalham o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Seropédica. Segundo a PF, um inquérito foi aberto e uma perícia também foi feita pelos agentes na segunda-feira. Procurado , o Ibama informou que vai apurar o caso. Abaixo, a íntegra da nota enviada pelo órgão.

"A