Falta de produto em supermercado atinge cerveja e depilatório em agosto

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 26.02.2019: Prateleira de supermercado com cervejas de diversas marcas. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 26.02.2019: Prateleira de supermercado com cervejas de diversas marcas. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A falta de alguns produtos nos supermercados voltou a apontar tendência de alta em agosto. O indicador de ruptura da Neogrid, que desde o ano passado vem sinalizando as lacunas nas gôndolas, subiu de 11,1% em julho para 11,6% em agosto.

As maiores altas estão nos iogurtes, cuja ruptura saltou de 9,6% para 14,6%, e nos depilatórios, de 9,8% para 15,5%.

O problema voltou a crescer nas prateleiras da cerveja que, depois de cinco meses em queda, registrou ruptura de 10,2% para 11,9%, segundo o indicador na Neogrid, que monitora cadeias de suprimento. Apesar do avanço, ainda está muito abaixo do patamar de 16% que atingiu entre julho e agosto do ano passado, quando a indústria de embalagens teve dificuldade com o fornecimento de vidro e lata.

A ruptura pode ser atribuída a fatores que variam desde a escassez de matéria-prima agravada na pandemia até questões climáticas. Inflação costuma ser outro aspecto responsável pela falta de produtos nos supermercados porque atrapalha e atrasa as negociações entre indústria e varejo.

Segundo Robson Munhoz, diretor da Neogrid, a negociação de reajustes de preços e a falta de insumos estão atrasando a entrega dos pedidos em um cenário de estoques já mais baixo, o que acaba aparecendo na gôndola do supermercado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos