Faltam parcerias para fazer vacina da Covid em fábricas de imunizante para animais

·1 minuto de leitura

Multiplicar a produção de vacinas contra Covid-19 no Brasil usando a estrutura de fábricas que fazem imunizantes para animais é uma ideia que ganha força em Brasília. O projeto de lei que concede essa autorização, criado pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT), foi aprovado no Senado por unanimidade em abril. Agora está na Câmara, tramitando em regime de urgência — a expectativa é que possa ser votado nesta semana. Se passar por essa etapa, o projeto irá para a sanção presidencial. Fagundes projeta que 400 milhões de doses poderiam ser produzidos em três meses nesses locais.

Colocar essa proposta em prática, no entanto, não depende apenas das assinaturas do Legislativo e do Executivo. A viabilidade só virá com liberação da Anvisa e, principalmente, acordos com fabricantes de vacinas contra Covid-19 interessados em levar essa ideia adiante. Do lado do governo, há entusiasmo com a iniciativa. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, comentou esse plano até em reunião com Tedros Adhanom, diretor-geral da OMS, em abril. A movimentação do setor está voltada para conseguir parceiros, contam fontes familiarizadas com as negociações ouvidas pelo EXTRA. As conversas foram iniciadas com laboratórios de fora do país, como o Fosun Pharma, da China, e também com pesquisadores brasileiros que têm projetos em curso para novas vacinas contra o Sars-CoV-2.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos