'Faltou a Ford dizer a verdade. Querem subsídios', diz Bolsonaro sobre saída da empresa do Brasil

Daniel Gullino
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira lamentar a perda de empregos que será causada pela decisão da Ford de encerrar a fabricação de automóveis no Brasil, mas disse que a empresa não fala a "verdade" e que queria subsídios para continuar no país.

— Lamento os cinco mil empregos perdidos — disse Bolsonaro a apoiadores, na saída do Palácio da Alvorada. — Mas o que a Ford quer? Faltou a Ford dizer a verdade. Querem subsídios. Vocês querem que continuem dando 20 bilhões para eles, como fizeram nos últimos anos? Dinheiro de vocês, do imposto de vocês.

A decisão da Ford foi anunciada na segunda-feira. A produção será interrompida imediatamente em Camaçari (BA) e Taubaté (SP) no Brasil, com a fabricação de algumas peças continuando por alguns meses para sustentar os estoques para vendas de reposição.

Entre os motivos para a decisão, Lyle Watters, presidente da Ford na América do Sul, citou um "ambiente econômico desfavorável" agravado pela pandemia.

Nesta terça-feira, Bolsonaro afirmou que "negócio é negócio" e que, se a empresa não estava tendo lucro, o fechamento é esperado.

— Repito: lamento os cinco mil empregos perdidos. Quem é chefe de família sabe o problema que causa para dentro de casa. Agora, negócio é negócio. Deu lucro? O cara fica aqui. Não deu lucro? O cara não produz mais aquilo, fecha.

Ao falar da perda de empregos, o presidente ainda ressaltou que o país criou 414.556 vagas de emprego em novembro, segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).