Família de ambientalistas é assassinada a tiros no Pará

·1 min de leitura

Um triplo homicídio em São Félix do Xingu, no Sul do Pará, está sendo investigado pela Polícia Civil do estado. As três vítimas eram ativistas ambientais da mesma família e moravam há mais de 20 anos na região. A comunidade local foi surpreendida na última segunda-feira, 10, ao encontrar sem vida a família tão conhecida na cidade. Segundo a polícia, o assassinato pode ter ocorrido há cerca de três dias, devido ao estágio avançado de decomposição dos corpos.

Os três corpos encontrados são de um homem conhecido como “Zé do lago”, sua esposa Márcia e Joene, a filha menor de idade do casal. Os sobrenomes não foram divulgados. Pai, mãe e filha assassinados viviam na região conhecida como Cachoeira da Mucura, às margens do rio Xingu e foram executados a tiros. O corpo de Márcia foi encontrado boiando no rio Xingu, enquanto os corpos do esposo e da filha estavam nas proximidades da casa onde moravam os três.

Zé do Lago e a esposa desenvolviam atividades de proteção ambiental que envolvia o repovoamento das águas do rio na região. Todos os anos, o homem realizava a soltura de centenas de filhotes de quelônios das espécies tracajá e tartaruga nas águas do Xingu.

Procurada pelo GLOBO, a Polícia Civil do estado do Pará informou, em nota, que está apurando o crime:

“A Polícia Civil comunica que uma equipe está realizando diligências na região para localizar os autores do triplo homicídio ocorrido na ilha da Cachoeira do Mucura, às margens do Rio Xingu, no município de São Félix do Xingu. A PC ressalta ainda que qualquer informação que auxilie no esclarecimento do fato, pode ser repassada via Disque-denúncia, 181.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos