Família de Flávio Migliaccio vai processar Estado após PMs divulgarem foto do ator morto

A família do ator Flávio Migliaccio vai processar o Estado após tomar conhecimento de que dois policias militares tiraram fotos e divulgaram as imagens do corpo dele em uma rede social. Migliaccio foi encontrado morto por um caseiro no sítio dele, em Rio Bonito, no Rio de Janeiro, na manhã de segunda-feira. Ele tinha 85 anos.

O advogado Sylvio Guerra, que representa da família, disse que vai processar os policiais por vilipêndio de cadáver e vai buscar indenizações do Estado pelos danos causados "pela absurda, abusiva e mórbida" divulgação da foto. Ele defende que o ato viola a imagem do ator, bem como o luto da família, amigos e fãs.

– Foi uma violência, um desrespeito! Estarei tomando todas as medidas judiciais cabíveis em face de dois agentes do Estado, dois policiais militares, que divulgaram foto de meu cliente em condições que se encontrava dentro de seu quarto após suicidar-se. Esses policiais carregam a bandeira do Estado em suas fardas. Ressaltamos que a fotografia foi feita dentro da propriedade privada, sem autorização da família e divulgada em redes sociais – afirmou Guerra.

Segundo o advogado, o filho do ator, o jornalista Marcelo Migliaccio, doará a indenização caso seja reconhecida pela Justiça.

O ator ficou muito conhecido com o seriado infantil "Shazan, Xerife & Cia" ao lado de Paulo José. A última participação na TV foi em 2019 na novela "Órfãos da terra", no papel de Mamede Aud. Ele também participou do filme "Hebe", sobre a apresentadora Hebe Camargo, ao lado de Andrea Beltrão.

Flávio avisou para a afilhada, Morgana, que iria para Rio Bonito, na semana passada. Migliaccio era muito querido no município e participava ativamente da vida cultural e política da cidade.