Família de mineira assassinada na Irlanda faz vaquinha para trazer corpo ao Brasil

A família da brasileira Bruna Fonseca, morta estrangulada na cidade irlandesa de Cork, abriu uma vaquinha para arrecadar dinheiro para trazer o corpo da jovem ao Brasil. Segundo a publicação, são necessários 30 mil euros para o traslado, o equivalente a R$ 171 mil.

Crime: Mineira morta na Irlanda e suspeito de crime terminaram namoro há pouco tempo, diz irmã da vítima

Entenda: Brasileiro é acusado de assassinar mineira em apartamento na Irlanda

Cerca de R$ 34 mil já foram arrecadados na plataforma Go Fund Me.

A jovem de 28 anos, da cidade de Formiga (MG), foi encontrada sem vida em um apartamento do centro de Cork nas primeiras horas do dia primeiro de janeiro, com sinais de estrangulamento e espancamento. O principal suspeito é seu ex-namorado, Miller Pacheco, de 29, que foi detido sem direito a fiança e acusado de homicídio.

O casal tinha recentemente se separado, segundo contou a irmã de Bruna ao GLOBO.

Segundo o jornal irlandês Irish Examiner, uma vigília em homenagem a brasileira está marcada para acontecer na cidade irlandesa no próximo domingo.

Procurado, o Itamaraty disse ter tomado ciência do caso e afirmou estar a disposição de familiares da jovem. Bruna Fonseca tem parentes que residem na Irlanda.

— A Bruna sempre foi definida como guerreira, uma menina discreta, porém com objetivos muito bem definidos. Uma irmã que está sempre auxíliando a quem a buscava. Sem sombra de dúvida a nerd da família — lembra a irmã da jovem, Isabel Fonseca, que descreveu ainda o choque sofrido pela família — Ainda não estamos sabendo lidar, porque ninguém no mundo pode imaginar passar por uma situação dessas. Estamos vivendo um dia de cada vez.

Desde que se mudou para a Irlanda em setembro, com o objetivo de estudar inglês, a bibliotecária trabalhava para uma empresa de limpeza para se manter no país. Ainda segundo Isabel, a brasileira tinha planos de se estabalecer no exterior:

— Como ela ainda estava lá a pouco tempo, ela não comentava se seria permanente, porém ela pensava sim em estabelecer algo mais sólido fora do país