Jovem de 17 anos desaparece após ser visto em circuito interno de TV de condomínio na Barra da Tijuca

Rodrigo Berthone
1 / 2

WhatsApp Image 2020-06-01 at 21.39.43.jpeg

Pedro Norton Pitta, de 17 anos, foi visto pela última vez na madrugada do último sábado em imagens do circuito interno de tv de condomínio

RIO — Familiares e amigos de Pedro Norton Pitta, de 17 anos, seguem em uma incansável busca para encontrar o paradeiro do adolescente, desaparecido desde a madrugada do último sábado, quando foi visto pela última vez em imagens do circuito interno de TV do condomínio onde mora com o pai, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. A foto de Pedro já se encontra nos canais oficiais da Delegacia de Descoberta de Paradeirtos (DDPA), da Polícia Civil, que segue investigando o caso.

De acordo com o taxista Diogo Rocha, pai do jovem, Pedro vestia bermuda cinza, camisa e tênis pretos quando foi flagrado por volta das 3h30m pelas câmeras do circuito interno deixando o condomínio onde mora. Nesta segunda-feira (01), Diogo esteve na Cidade da Polícia, no Jacarezinho, para registrar o desaparecimento do filho.

— Ele não deu notícias. Meu filho não bebe, não usa droga, é inteligente, campeão de xadrez. Ele tem uma cabeça boa — diz o taxista, destacando que nas imagens era possível ver o filho carregando uma mala. — Ele levou bastante roupa, desodorante, escova de dente e saiu de máscara.

Moradora de Piraí, município no Sul do estado, a mãe do jovem usou as redes sociais para fazer um apelo para quem tivesse informações de onde achar o adolescente. Na postagem, a pedagoga Tatiana Burok cita que o filho tem amigos nas cidades de Volta Redonda, no distrito de Arrozal, no município de Piraí, e no bairro da Ilha do Governador, no Rio.

Emocionada e tentando controlar o choro, Tatiana lamenta o fato da relação com o filho estar estremecida há cerca de dez meses, desde que o jovem decidiu morar com o pai, no Rio.

— O sofrimento é pior ainda porque é aquela coisa "o que a gente podia ter feito pra resolver isso". Mas ele não apresentava nada de diferente, vontade de fugir, nem nada. Ele tem uma namorada aqui em Piraí, mas estava brigado com ela, por isso tenho essa visão pessimista da situação — diz muito emocionada.

Tatiana conta que procurou por informações sobre o menino na rodoviária de Piraí, sem sucesso. O plano é procurar nesta terça-feira por informações do rapaz em guichês de empresas de ônibus na Rodoviária do Rio.

— Vou correr atrás dele pro resto da minha vida, mas acho que ele está escondido e não quer ser achado.