Família é presa acusada de estuprar primas e sobrinhas durante quase 20 anos

·2 minuto de leitura
Defensive outstretched hands creating a shadow. Conceptual with space for copy.
Segundo a polícia, vítima mais nova dos suspeitos tinha 5 anos de idade (Foto: Getty Images)
  • Idosa, filhos e netos foram presos por estuprar familiares no MS

  • Primeira vítima identificada pela polícia sofreu primeiro abuso há 17 anos

  • Uma das vítimas ameaçou denunciar familiares e foi espancada com uma corrente

Uma idosa de 77 anos, dois filhos e um neto dela foram presos em 19 de agosto na cidade de Três Lagoas, em Mato Grosso do Sul. Eles são suspeitos de participarem de um esquema de estupro de melhores de idade. O caso foi revelado pela Folha de S. Paulo.

As vítimas seriam primas e sobrinhas dos suspeitos e o esquema acontece há quase duas décadas. Outro neto da mulher já havia sido preso no início de agosto e o crime cometido por ele, contra uma prima, foi o ponta pé inicial para a investigação feita pela Polícia Civil.

A operação acontece há três meses e ganhou o nome de Sodoma e Gomorra, em referência a uma passagem bíblica que fala sobre estupro.

Leia também:

A delegada-adjunta da Delegacia da Mulher de Três Lagoas, Nelly Macedo, disse à Folha que a investigação demorou pelo cuidado para não expor as vítimas do crime. “Ficávamos fazendo a investigação sem muita abordagem, esperando que as vítimas nos procurassem”, detalhou.

“Elas ainda estavam morando naquele ambiente, junto com os agressores, então não podíamos simplesmente chegar ali e colocá-las em risco.”

Quase duas décadas de abuso

Uma das vítimas sofreu o primeiro abuso há 17 anos, quando tinha 8 anos de idade. Segundo informações da Folha, ela foi estuprada por mais de um parente e só deixou de ser abusada quando deixou de conviver com a família.

Ao longo deste tempo, pelo menos 13 crianças e adolescentes foram vítimas da família. Entre elas, três foram às autoridades depois das prisões. Uma das vítimas foi estuprada quando tinha apenas 5 anos.

A maior parte das vítimas era mulher, mas pelo menos um menino também foi alvo do crime.

À Folha, a delegada afirmou que os demais suspeitos não ficaram preocupados após a prisão do primeiro envolvido no crime. “Eles pensavam que tinha ficado restrito a essa vítima. Como tinham esse controle, não acreditavam que as outras pessoas teriam coragem de denunciar”, relatou.

Uma das vítimas ameaçou denunciar os parentes e foi espancada pelos suspeitos com uma corrente.

Organização familiar

A polícia revelou que quatro homens foram presos: os dois mais velhos eram irmãos, um era filho de um deles e o quarto era sobrinho dos dois. A idosa de 77 anos, mãe dos mais velhos, era conivente com os crimes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos