Família de brasileiros morta no Chile foi intoxicada por monóxido de carbono, diz laudo

Família morreu por intoxicação de monóxido de carbono, segundo laudo (Foto: Reprodução)

família de brasileiros que morreu no Chile foi intoxicada por monóxido de carbono, segundo das autoridades chilenas. A informação foi confirmada pelo advogado da família nesta sexta-feira (31)

Os seis brasileiros foram encontrados mortos em um apartamento em Santiago no dia 22 de maio. Eles haviam viajado para o Chile para comemorar o aniversário de Carolina Nascimento de Souza, de 15 anos.

Além de Caroline, também morreram seu pai, Fabiano de Souza, 41; sua mãe, Débora Muniz Nascimento de Souza, 38; seu irmão Felipe Nascimento de Souza, 13; e seus tios Jonathas Nascimento, 30 e Adriane Kruger. Jonathas era irmão de Débora.

O translado dos corpos deve ser na noite de segunda-feira (3). Na terça-feira (4), o velório será aberto ao púbico no ginário de esportes da Univali em Biguaçu, na Grande Florianópolis.

O Airbnb, ferramenta pela qual o casal alugou o apartamento, prometeu dar assistência aos parentes das vítimas. "Estamos profundamente consternados com este trágico incidente. Nós nos solidarizamos com os familiares e estamos em contato para prestar todo apoio necessário aos familiares neste momento difícil. A segurança de nossa comunidade de viajantes e anfitriões é a nossa total prioridade", disse a empresa, em nota.

O aplicativo possui um seguro para proteger danos aos imóveis e indenizar os proprietários se ocorrerem problemas. Em situações de acidentes com turistas, as situações são avaliadas caso a caso, segundo a assessoria de imprensa do Airbnb.