Famosas criticam veto do governo federal à distribuição gratuita de absorventes

·2 minuto de leitura

O presidente Jair Bolsonaro vetou a distribuição gratuita de absorventes femininos para estudantes de baixa renda de escolas públicas e mulheres em situação de rua ou de vulnerabilidade extrema. A decisão de Bolsonaro tem repercutido pelo país e está sendo um assunto muito comentado nasa redes sociais. Diversos anônimos e famosos ficaram revoltados com o veto e usaram o Instagram ou Twitter para mostrarem suas opiniões.

No Twitter, a ex-BBB e "No limite" Elana Valenária criticou o governante:

"Um HOMEM vetou a distribuição de absorvente e argumentou que não consta na lista de medicamentos 'considerados essenciais'. É desumano! Meninas deixam de ir a escola por não ter condição de comprar, outras dependem da boa vontade do companheiro. Congresso, derrube o veto!", disse.

Quem também criticou a decisão do presidente foi Ludmilla. No Twitter, a cantora não deixou de expor o que pensa sobre o veto:

"É todo dia um 7x1 nesse governo. Tantas outras coisas pra eles se preocuparem, mas não, só querem f* mais ainda a galera que já é sofrida e vulnerável. Imagina uma mulher não poder ir pra escola pq está menstruada e não tem absorvente? Mas o leite condensado tá lá na mesa dele né", escreveu a funkeira.

Samantha Schmütz também se posicionou sobre a decisão de Bolsonaro:

"Vetar absorvente para as mulheres sem acesso é de uma crueldade absurda… Ele não gosta das mulheres…", afirmou.

Mônica Martelli usou as redes sociais para demonstrar indignação contra o veto com um longo texto:

"Acabamos pensando e focando tanto na falta de alimentaçãos, que já é um absurdo, que não paramos pra analisar a pobreza menstrual, um drama mensal. A falta de absorventes é um drama. A falta de acesso. Isso não é um problema pessoal apenas, é social. Doenças estão relacionadas ao uso de materiais não apropriados pra conter o fluxo menstrual", refletiu ela.

Chorando, Rafa Brites desabafou sobre a decisão:

“A gente não pode deixar vetar a lei de distribuição gratuita de absorventes. Isso é sério, é saúde pública! A gente precisa lutar por esse projeto de lei tão importante. Uma a cada quatro meninas já deixaram de ir para a escola porque não tem absorvente. Colocam miolo de pão, jornal, isso é sério, elas têm infecções. Fazia tempo que eu não saía do sério assim”, posicionou-se a apresentadora.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos