Famoso jornalista afegão é morto em ataque em Cabul

·1 minuto de leitura
O jornalista Yama Siawash
O jornalista Yama Siawash

Um jornalista, ex-apresentador de televisão, e dois civis foram mortos, neste sábado (7), na explosão de uma bomba em Cabul, informou a polícia.

Yama Siawash morreu quando uma bomba plantada em seu carro perto de sua casa explodiu, explicou o porta-voz da polícia Ferdaws Faramarz a repórteres. 

Siawash, que recentemente se tornou conselheiro do Banco Central Afegão, havia trabalhado anteriormente como apresentador na Tolo News, a maior rede privada de informação do país.

O atentado ainda não foi reivindicado, mas tais crimes, que visam jornalistas, políticos ou defensores dos direitos humanos, são frequentes no Afeganistão, especialmente neste momento em que a violência aumenta no país.

Muitas autoridades afegãs condenaram imediatamente o ataque a Siawash. "Ter como alvo os jornalistas é ter como alvo a liberdade de expressão, e a morte de Siawash é uma grande perda para o país", disse Abdullah Abdullah, representante do governo afegão nas negociações de paz com o Talibã, em um comunicado.

"Este é um crime imperdoável", acrescentou.

A violência aumentou no país nos últimos meses, apesar do início das negociações de paz entre o Talibã e o governo para encerrar o conflito que já dura décadas.

Na segunda-feira, 22 pessoas, incluindo muitos estudantes, foram mortas em um ataque à universidade de Cabul, reivindicado pelo grupo jihadista Estado Islâmico.

mam-jds/qan/eb/pz/bl/es/mr