'Faraó dos Bitcoins' anuncia pré-candidatura a deputado federal pelo Rio

Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó dos Bitcoins", anunciou sua pré-candidatura a deputado federal pelo Rio em publicação nas redes sociais na tarde desta sexta-feira. Preso, ele se filiou em abril ao partido Democracia Cristã (DC), que confirmou sua intenção de lançar a candidatura do ex-garçom no pleito eleitoral deste ano.

"“Se engana quem me chama de ex-garçom, quando, na verdade, sou um eterno garçom. Agora com a futura missão de servir ao Estado do Rio de Janeiro e ao Brasil”, escreveu Glaidson no post do Instagram.

Réu em dois processos, Glaidson cumpre mandados de prisão preventiva, ou seja, ainda não recebeu nenhuma condenação. Isso pode facilitar seu propósito de entrar para o meio político, já que a Lei da Ficha Limpa se refere sobretudo à candidatura de condenados em segunda instância. Contudo, a Lei da Ficha Limpa também trouxe alterações à Lei da Inelegibilidade (64/1990), dando margem ao indeferimento da candidatura por outras razões. Além disso, ainda há a possibilidade de Glaidson ser condenado até o período de registro das candidaturas, que acontece no segundo semestre.

No processo de candidatura, o partido primeiramente apresenta o pedido do registro, que chega ao Ministério Público Eleitoral (MPE). O MPE faz um parecer a partir das certidões apresentadas pela legenda e após olhar a situação dos processos a que o pré-candidato responde. A avaliação do MPE é então encaminhada para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que permite ou proíbe a candidatura.

O partido Democracia Cristã ressalta que Glaidson afirma ter sido vítima de uma injustiça e que, não havendo condenação contra o ex-garçom, ele deve ter o seu direito de se candidatar respeitado.

Nove meses após ser preso pela Polícia Federal por suspeita de comandar esquema milionário de lavagem de dinheiro, o ex-garçom Glaidson Acácio dos Santos, dono da GAS Consultoria, foi indiciado novamente pelo órgão no mês passado pelo crime. O relatório da PF já está com o Ministério Público Federal (MPF), que analisa se aceita o indiciamento e denuncia o ‘Faraó dos Bitcoins", como é conhecido. Atualmente, o ex-pastor está preso no Complexo de Gericinó, em Bangu.

Este é o segundo indiciamento de Glaidson pela PF. Em setembro do ano passado, o ex-garçom e outras 21 pessoas foram indiciadas pela Polícia Federal por participação em organização criminosa, gestão fraudulenta e violação do sistema financeiro nacional.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos