Farc rejeitam projeto de plebiscito para aprovar acordo de paz na Colômbia

Representantes das Farc concedem entrevista em Havana. 17/10/2015. REUTERS/Enrique de la Osa

HAVANA (Reuters) - As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) rejeitaram nesta segunda-feira um projeto de plebiscito incentivado pelo governo no Congresso para que os colombianos ratifiquem os acordos de paz para colocar um ponto final no único conflito interno que atinge um país da América Latina. O governo do presidente Juan Manuel Santos apresentou ao Congresso um projeto de lei que estabelece um plebiscito para referendar os acordos com as Farc. O governo negocia em Cuba há três anos com o grupo rebelde para colocar fim ao conflito de mais de cinco décadas que deixou 220.000 mortos. A guerrilha das Farc, que insiste que o mecanismo de ratificação deve ser acordado entre as duas partes, propõe uma Assembleia Nacional Constituinte, que o governo se opõe. "Rejeitamos (a iniciativa de plebiscito) não apenas por se tratar de uma fórmula não consultada, mas porque constitui a mais inócua e menos propícia de todas as iniciativas para a paz que tramitam no Congresso da República", disseram as Farc em um comunicado. O governo pretende que o Congresso aprove o projeto de lei de plebiscito no máximo dia 16 de dezembro. (Reportagem de Jaime Hamre)