Farmacêutica brasileira avança em pesquisa que leva coronavírus em viagem espacial

·1 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Pousou na manhã desta quarta-feira (22) na ISS (Estação Espacial Internacional) uma cápsula da SpaceX que leva experimento brasileiro sobre o coronavírus.

A pesquisa, desenvolvida pelo CNPEM (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais), é financiada pela farmacêutica Cimed, que contratou a empresa brasileira de logística espacial Airvantis para viabilizar o projeto.

O objetivo do experimento levado ao espaço é cristalizar uma proteína do Sars-Cov-2. De volta à Terra, isso deve ajudar a visualizar melhor essa estrutura do vírus.

"Consideramos muito promissor o futuro da indústria farmacêutica nacional no espaço, que funciona como um grande laboratório, já que os estudos em órbita nos ajudam a entender o funcionamento do nosso organismo aqui na Terra", afirma João Adibe Marques, presidente da Cimed.

A Airvantis também tem três novas missões espaciais agendadas para o primeiro semestre de 2022, juntamente com a Cimed, e espera realizar ainda pelo menos outras duas até o final de 2022.

"O número de lançamentos pode ser maior no próximo ano, pois negociações estão em andamento. A pesquisa espacial entrou na agenda de inovação das empresas brasileiras. Ter um player logístico especializado e a chegada de novas tecnologias torna mais acessível esse tipo de investimento", afirma Lucas Fonseca, diretor-executivo da Airvantis. ​

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos