'Favelado não é bandido', diz Rene Silva após fala de Bolsonaro sobre visita de Lula ao Alemão

Após o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmar, no debate da TV Globo desta sexta-feira, que seu adversário no segundo turno das eleições, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), encontrou-se com criminosos em visita ao Complexo do Alemão, internautas criticaram a fala do atual mandatário. O fundador do Voz das Comunidades, Renê Silva, convocou seus seguidores para tuitar 'Favelado não é bandido'.

A frase chegou a oitava posição nos assuntos mais comentados do Twitter.

Bolsonaro disse que Lula foi ao local para se "encontrar com chefes do narcotráfico" e afirmou ainda que "ninguém entra lá sem a polícia". A visita de Lula aconteceu no dia 12 de outubro e foi articulada pelo próprio ativista e líder comunitário. Antes da caminhada pela Estrada do Itararé, Lula se reuniu com lideranças do projeto Voz das Comunidades.

Durante a visita no Complexo do Alemão, o ex-presidente Lula (PT) posou para fotos com os moradores. Entre eles, o ator e modelo Diego Raymond, que ficou conhecido como "Mister M" ao ser preso por associação ao tráfico de drogas em 2010. Depois de nove meses de reclusão, Diego foi absolvido das acusações. Diante da repercussão nas redes, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) passaram a veicular fotos do jovem caracterizado para a série "A Divisão", uma produção original Globoplay, sob a acusação de que seria um bandido.

Na mesma visita, Lula foi fotografado usando um boné com a sigla 'CPX', que significa Complexo do Alemão. Imagens do presidente com o acessório viralizaram nas redes sociais e foram usadas por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro para divulgar desinformação relacionando a sigla com a palavra 'cupincha', que significa parceiro e que, segundo eles, seria usada por integrantes de facções criminosas.