Favorito, Lira faz discurso com críticas a Maia e diz que país não aguenta mais 'acotovelamentos'

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Favorito na eleição desta segunda-feira (1º) e apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o deputado federal Arthur Lira (PP-AL), líder do centrão, fez um discurso no plenário crítico a Rodrigo Maia (DEM-RJ), que deixa nesta segunda o poder, afirmando que o país não aguenta mais "acotovelamentos". Apesar de não ter citado nem Maia nem Bolsonaro, Lira frisou no final de sua fala de dez minutos, grande parte dela lida, que pretende fazer uma gestão harmônica, em alusão aos embates entre Maia e Bolsonaro. "Acredito na consciência livre das mulheres e dos homens de bem dessa Casa para que possam expressar com força a vontade de ver uma Câmara independente sim, uma Câmara autônoma, mas uma Câmara harmônica. Harmônica porque o Brasil não aguanta mais acotovelamentos, não aguenta mais brigas, não aguenta mais puxar cordas", afirmou em uma das poucas partes em que discursou de improviso. Lira também fez várias promessas de descentralização de poder, do fim da "Câmara do eu" em prol da "Câmara do nós". "Olhe para a cadeira da presidência, por acaso há ali um trono?", discursou o deputado. Maia, que apoia Baleia Rossi (MDB-SP), presidia a sessão. "Tudo nessa Casa tem a marca do coletivo, o individuo não existe em relação à instituição", acrescentou, afirmando que é preciso tirar os superpoderes da presidência e repassá-los ao plenário.