Fazendeiro acusado de facilitar fuga de Lázaro é solto

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA — Acusado de facilitar a fuga de Lázaro Barbosa, o fazendeiro Emi Caetano Evangelista, de 73 anos, foi solto na sexta-feira e deixou o presídio de Águas Lindas de Goiás.

Segundo o advogado de Emi, Ilvan Silva Barbosa, seu cliente não representava risco à ordem pública. Além disso, ele está com a saúde debilitada. Lázaro foi morto pela polícia em um confronto. Procurado por uma série de assassinatos, o criminoso foi alvejado por quase 40 tiros, após 20 dias de buscas.

— Ontem à noite a Justiça, de maneira acertada, concordou com o pedido de revogação de prisão preventiva. Não existindo mais os pressupostos (dessa prisão), como a garantia da ordem pública, ele foi solto. Com a morte do Lázaro, ele já não teria como ajudá-lo de qualquer forma — disse Ilvan ao GLOBO.

Com o encerramento das investigações, porém, o fazendeiro pode responder por favorecimento pessoal. Ele foi preso no dia 24 de junho. Seu funcionário, o caseiro, disse à polícia que o patrão estava ajudando Lázaro com abrigo e alimentação.

Apesar de liberar o fazendeiro, a Justiça determinou o uso de tornozeleira eletrônica e o recolhimento à noite.

— Ele está em local indicado pelo Poder Judiciário, não está em casa, para a garantia da integridade física dele — disse a defesa.

Ainda de acordo com o advogado, por ser idoso, Emi Caetano tem a saúde frágil: fez tratamento para câncer, além possuir hipertensão e diabetes.

Segundo o governo de Goiás, dias antes de ser preso, o fazendeiro entrou em contato com o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, para dar pistas falsas sobre a localização de Lázaro.

Segundo a defesa, uma outra acusação, esta de posse ilegal de arma, foi descartada porque as peças encontradas com o fazendeiro no momento da prisão não funcionavam, como apontou laudo pericial.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos