FDA pede que doses de reforço contra a Covid sejam eficientes contra subvariantes da Ômicron

Sede da FDA em White Oak, no Estado norte-americano de Maryland

Por Michael Erman

(Reuters) - A Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) recomendou nesta quinta-feira que as doses de reforço das vacinas contra a Covid-19 sejam modificadas a partir do outono no Hemisfério Norte para incluir componentes feitos sob medida para combater as atuais cepas dominantes do coronavírus, a BA.4 e a BA.5, ambas subvariantes da Ômicron.

A FDA afirmou que fabricantes não teriam que modificar a vacina para a série primária de vacinação, dizendo que o próximo ano será um "período de transição quando essa vacina de reforço modificada poderá ser introduzida".

As novas doses de reforço seriam vacinas ambivalentes, o que significa que as doses seriam eficientes tanto contra o vírus original, quanto contra as subvariantes da Ômicron.

A decisão segue uma recomendação dos conselheiros externos da agência para alterar o projeto dos imunizantes neste outono para combater versões mais prevalentes do coronavírus.

Estima-se que as subvariantes BA.4 e BA.5 representem agora mais de 50% das infecções nos Estados Unidos, de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, e se tornaram também dominantes em outros lugares.

A FDA disse em nota na quinta-feira que espera que as vacinas modificadas possam ser utilizadas a partir do final de setembro, ou meados de novembro.

(Reportagem de Michael Erman em New Jersey e Leroy Leo e Bengaluru)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos