Federação de atletas indica como representante à CNRD advogado processado por mais de 260 jogadores

A Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) indicou o presidente do Sindicato de Atletas Profissionais do Estado de São Paulo (Sapesp), Rinaldo Martorelli, para ser membro da Câmara Nacional de Resolução e Disputas (CNRD), da CBF. Caberá a ele, que é advogado, atuar em disputas trabalhistas, como falta de pagamentos, entre clubes, atletas e empresários. Ele terá uma remuneração de R$ 8 mil.

Leia: Fenapaf faz acordo e paga quase R$ 3 milhões de indenização a dirigentes sindicais

Receba as notícias em primeira mão: entre no canal do Panorama Esportivo no Telegram

A indicação veio logo após a Fenapaf fechar um acordo com Martorelli e outros dois presidentes de sindicatos para que eles recebessem R$ 3 milhões de indenização, conforme o Panorama Esportivo revelou nesta segunda-feira. Apenas Martorelli recebeu R$ 2,5 milhões.

A Fenapaf tem direito a indicar dois membros. O outro foi o advogado Márcio Luiz Amaral, que já foi auditor do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD/RJ) e da 5ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Processado por atletas

Tramita desde o ano passado na Justiça de São Paulo uma ação proposta por 263 jogadores — que à época pertenciam a 13 clubes — que pedem a saída dele da presidência da Sapesp. O pedido foi feito após o "ge" revelar que Martorelli se deu diversos aumentos (hoje ele ganha cerca de R$ 50 mil), aprovou bônus retroativa que somaram R$ 3,5 milhões, contratou o próprio filho como diretor jurídico, reteve valores que poderiam ser repassados aos atletas e também transformou o sindicato em uma empresa de agenciamento de atletas.

Sobre este processo, o advogado dos jogadores, Filipe Rino, informou que o Ministério Público do Trabalho deu parecer favorável à prestação de contas dos últimos cinco anos da Sapesp e que a Fenapaf pediu que o processo trabalhista seja transformado em ação cível pública. Ele também alegou que aguarda a Justiça se manifestar sobre ambos os assuntos.

O que diz a Fenapaf

Procurado, o presidente da Fenapaf, Alfredo Sampaio, alegou que a entidade não estava satisfeita com “o representante dos atletas no CNRD, por isso buscamos pessoas com conhecimento jurídico suficiente, que pudessem, de forma imparcial, porém justa, sem influências, representar bem a categoria, por isso a indicação do Martorelli e do advogado Márcio Luiz”.

Sobre Martorelli ele alegou que “ele soma quatro pós graduações, é mestre em direito, doutorando em direito e exerceu essa função por mais de 15 anos, na FIFA, que é entidade máxima do futebol”. E que “As relações na Fenapaf são sempre tratadas de forma institucional”.

Ao ser questionado se são aliados, ele respondeu que “se aliado significa trabalhar em prol da defesa da categoria, sim, bem como todos os demais presidentes, que trabalham e não são vistos e nem reconhecidos. Este termo, usado de outra forma, considero tendencioso”.

Já CBF informou que não pode interferir nas indicações, mas que todos os nomes indicados passam pelo aval do compliance da Confederação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos