Feirão Limpa Nome é prorrogado na internet; renegociação de dívidas vai até o dia 15

O Feirão Limpa Nome do Serasa Consumidor foi prorrogado na internet. Até o dia 15 de dezembro, os interessados em pagar dívidas em atraso — aproveitando recursos do 13º salário ou do saque imediato de R$ 500 por conta de FGTS — podem acessar o site ou baixar o aplicativo do Serasa Consumidor. Os descontos podem chegar a 98%.

Desde que o feirão começou, no início de novembro, mais de um milhão de consumidores já negociaram seus débitos. Segundo a entidade, mais de 1,6 milhão de acordos fechados — crescimento de 200% em relação ao último evento —, permitindo aos consumidores economizar R$ 4,5 bilhões.

Ainda de acordo com a instituição, metade de todos os acordos feitos tiveram de 81% a 98% de abatimento no valor da dívida.

Segundo Lucas Lopes, gerente do Serasa Limpa Nome, 70% das dívidas foram pagas à vista durante o mês de novembro, o que revela a preferência do consumidor pelo desconto, em vez do prazo maior de pagamento.

As empresas participantes do feirão são: Santander, Itaú, Recovery, Ativos, Net, Claro, Embatel, Anhaguera, Credsystem, Ipanema, Unopar, Sky, Nextel, Banco BMG, Digio, Hoepers, Porto Seguro, Tricard, Oi, Zema, Unic, Fama, Pitágoras, Uniderp e Unime.

Perfil dos inadimplentes

O total de inadimplentes no país chegou a 63,9 milhões de pessoas, em outubro deste ano, de acordo com um estudo feito pela Serasa Experian. Isso equivale a um crescimento de 4% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando havia 61,7 milhões de pessoas com dívidas.

O montante devido até outubro de 2019 foi de R$ 254 bilhões. A dívida média ficou em R$ 3.993.     

No caso de quem está com o nome sujo, a maior concentração está na faixa etária de 26 e 40 anos (37,1% do total). Em segundo lugar, aparecem pessoas de 41 e 60 anos (34,1%).

A maior parte dos débitos diz respeito a cartão de crédito (28,4% do total). Em seguida, aparecem contas de consumo (energia elétrica, água e gás), com 20,2%; dívidas no varejo (12,7%) e serviços de telefonia (11%).

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Extra (21 99644 1263).