'Feito é melhor que perfeito': voluntários exibem mensagens de motivação a candidatos do Enem

Rafael Garcia
1 / 2
"Feito é melhor que perfeito": voluntários exibem cartazes em porta de local de prova do Enem

SÃO PAULO — Um fenômeno comum na porta de entrada de locais de prova do Enem tem sido a presença de pessoas com cartazes exibindo mensagens de motivação. Um número razoável deles são agentes de marketing de cursinhos e universidades, mas há grupos voluntários fazendo o serviço de utilidade pública também.

É o caso do coletivo Manifesto.29, que na manhã deste domingo, tinha integrantes abordando estudantes para conversar, entregando cartas com mensagens de apoio e exibindo cartazes.

— Nós criamos o projeto inicialmente pensando em dar apoio para as pessoas que eram ridicularizadas por chegarem atrasadas para o Enem — conta Marillia Benevides, uma das voluntárias que portavam cartazes nesta manhã.

“Feito é melhor do que perfeito” dizia uma das frases exibidas pelo grupo. Outra estampava a mensagem “Voe o mais alto que você puder”.

No campus Barra Funda da Uninove, alguns dos voluntários que buscavam acalmar os estudantes que estavam ansiosos era da comunidade católica Juventude Shalom São Paulo, que passou a atuar junto do Manifesto.29.

— Nos encontramos aqui no Enem no domingo passado e agora estamos unindo esforços — diz Tayane Cristine, uma das participantes do movimento. — Queremos ser um refúgio para as pessoas aqui.

Candidatos de Salvador também recebem apoio

Um grupo de amigos da Igreja Metodista Centro do Salvador está na porta do Colégio Estadual Manoel Devoto, em Salvador, distribuindo abraço, mensagens de incentivo, caneta e chocolate para tranquilizar os candidatos.

— A gente vê que as pessoas se organizam para fazer meme, para zoar, mas não para incentivar, daí surgiu a iniciativa — conta o estudante Jadison Souza, de 21 anos.

O grupo se inspirou na ação de uma igreja do Piauí e está tendo boa recepção dos estudantes. A estudante Fernanda Santos relatou que seu humor mudou depois da abordagem.

Grupo de amigos da Igreja Metodista Centro do Salvador buscou incentivar candidatos em frente a um local de provas na capital baiana

— Isso empodera. Quem vai fazer o Enem precisa disso porque fica triste, tenso. Melhor do que quem fica na porta do colégio deixando as pessoas tensas, perguntando qual o valor de Pi e a capitania hereditária – compara Fernanda.