De Felipe Neto a Bruno Gagliasso, famosos condenam invasões em Brasília

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Famosos condenaram a invasão de manifestantes bolsonaristas a áreas do Congresso, do Planalto e do STF (Supremo Tribunal Federal) neste domingo (8). Nas redes sociais, artistas como Marcelo D2, Silva, Bruno Gagliasso, Cleo, Ingrid Guimarães, Lucas Silveira e Rennan da Penha manifestaram indignação em relação aos atos. Outras celebridades, como Gil do Vigor e Felipe Neto, também se posicionaram.

No mundo da música, artistas publicaram tuítes críticos a invasão em Brasília. O cantor Silva, questionou: "É fácil assim invadir o Congresso?". Ele ainda complementou: "É, amigos, nosso país é uma zona". Em um comentário feito em publicação do jornal Folha de S.Paulo no Instagram, o DJ Rennan da Penha escreveu: "Na favela, a gente recebe bala do Estado, esses mulas aí recebem o quê?".

"Imagina se fossem professores", questionou Marcelo D2. "Aprenda uma coisa, a polícia é dos brancos playboys, a polícia deles é para bater e prender a gente… Pobre, preto, trabalhador não pode contar com a polícia", complementou o rapper. O cantor Lucas Silveira, da banda Fresno, postou um vídeo dos manifestantes e questionou se não seriam presos.

Atores e atrizes também se posicionaram contra os atos. Filha de Glória Pires, Cleo escreveu no Twitter: "A gente quer paz, amor e respeito, mas recebe guerra e destruição da parte de pessoas que não aceitam o presidente eleito, pessoas essas que estão tentando um golpe de estado. Terrorismo, é isso que está acontecendo em Brasília". Zezé Polessa publicou no Instagram uma foto do noticiário na TV e escreveu: "Terrorismo não! Golpistas não passarão. Atos contra a democracia não passarão."

"Meu Deus, que tristeza! A que ponto chegamos...", disse Ingrid Guimarães em um tuíte. Bruno Gagliasso compartilhou uma sequência de vídeos da invasão nos stories do Instagram e falou: "Hora de agir! Criminosos antidemocráticos, golpistas atacando. O atentado à democracia se materializou. É grave!". O ator Humberto Carrão, também no Instagram, escreveu: "Cadeia para toda essa gente escrota!".

Assumidamente apoiador do presidente Lula (PT), o ex-BBB Gil do Vigor condenou os atos no Twitter. "Quando os estudantes pacificamente protestavam, eram tratados como bandidos, mas os brancos e ricos podem tudo, inclusive serem antidemocráticos e de fato criminosos. Mas como são brancos e ricos, tudo bem, vamos conversar, né? Uma vergonha!", escreveu. "É revoltante ver a tentativa de destruição da democracia! Invasão no congresso nacional?! Isso é inaceitável!", complementou o ex-BBB.

O youtuber Felipe Neto, crítico a Jair Bolsonaro (PL), fez uma sequência de tuítes sobre o episódio. "O terrorismo praticado pelos bolsonaristas não tem sequer um propósito. Absolutamente nada pode acontecer que impeça o resultado da democracia de continuar. Nada. É apenas balbúrdia de baderneiros que resultará em prisões. E torçamos para que não causem mortes", escreveu.

A escritora Thalita Rebouças falou em "vergonha". "Muita vergonha de ver minha bandeira nas costas desses vândalos. Não pode. É um absurdo! Não é manifestação. É barbárie. Vandalismo. Terrorismo. Uma coisa é votar no Bolsonaro, outra, completamente diferente, é apoiar/ fazer parte/ concordar com esse tipo de crime. Que sejam punidos como merecem. Que tristeza, meu Deus. Que tristeza", disse em publicação no Instagram.

O ator e apresentador Marcos Veras falou sobre Bolsonaro. "E o miliciano sujismundo foragido nos EUA", escreveu no Twitter. A atriz Tássia Camargo publicou imagens e vídeos no Instagram. "Capitólio e Palácio do Planalto. Qual a diferença? Uma só que explico abaixo. Todos são criminosos armados. Covardia a usar a cara tapada pela minha bandeira. Covardes e assassinos, criminosos. #democracia não é isso", disse.