Feliz Ano Novo: dez mulheres para ficar de olho em 2021

Laura Suprani*
·4 minuto de leitura

O ano de 2020 foi marcado não apenas pela pandemia de coronavírus e as medidas de combate à doença, mas também pela disseminação de pautas importantes para o avanço dos direitos das mulheres e populações LGBTQIA+, com destaque para a luta pela igualdade racial.

Em 2021, a luta continua. E elas já mostraram que, da ciência à política, pretendem assumir a liderança e atuar de forma fundamental para tornar o mundo um lugar cada vez menos desigual.

Entre tantas mulheres que se destacam no cenário nacional e internacional, separamos alguns nomes que vale a pena acompanhar no ano que vem.

Camilla de Lucas

Em meio a pandemia, os vídeos bem humorados e as dicas de beleza de Camilla de Lucas foram um alívio para quem acompanhava o noticiário. Rapidamente, ela se tornou um fenômeno nas redes. A influenciadora de 25 anos, que conquistou famosos e anônimos, e reúne 6 milhões de seguidores somando seus perfis no Instagram, Twitter e Tik Tok, promete continuar dominando as redes em 2021.

Duda Salabert e Erika Hilton

As eleições municipais de 2020 foram marcadas pela vitória de candidaturas trans e pela a conquista de cargos importantes nas câmaras municipais. Entre elas, se destacam Duda Salabert, a vereadora mais votada de Belo Horizonte, e Erika Hilton a mulher mais votada em São Paulo. Quando assumirem seus cargos, em 2021, elas prometem atuar no combate à violência e na garantia de direitos para a população trans e travesti de suas respectivas cidades.

Jacinda Ardern

Em 2020, a primeira-ministra da Nova Zelândia foi uma das figuras de maior destaque no combate à pandemia de covid-19, ao adotar medidas para monitoramento e controle da disseminação da doença. Eleita para mais um mandato, Ardern assumiu um compromisso com a diversidade e nomeou representantes do movimento LGBTQIA+ e da população indígena para cargos importantes em seu governo. Em 2021, ela deverá ainda enfrentar as demais consequências da doença, como o impacto na economia, e a implantação de um plano de vacinação para a população.

Kamala Harris

A vice-presidente eleita dos Estados Unidos é a primeira mulher a ocupar o cargo, assim como a primeira pessoa negra e de ascendência indiana a alcançar a vice-presidência do país. Seu mandato, que se inicia em 2021, promete dar mais atenção às questões raciais, assim como priorizar o acesso a programas de saúde e o combate ao desemprego.

Meghan Markle

Após o afastamento da família real, em um evento que ficou conhecido como “Megxit”, Meghan Markle e o marido se mudaram para os Estados Unidos e começaram uma nova vida, afastados das obrigações reais e do olhar opressor dos tabloides. Em 2021, a duquesa de Sussex, que celebra parcerias com Spotify e Netflix, deverá se dedicar à produção de conteúdo para as plataformas, além de trabalhos beneficentes em combate às desigualdades e suporte às populações mais afetas pela pandemia.

Mirtes Souza

Após perder seu filho Miguel, de 5 anos, em um acidente que mobilizou o debate público, Souza decidiu estudar Direito, buscar uma nova vida e correr atrás de seus sonhos. Segundo ela, a decisão veio como uma forma de poder ajudar outras pessoas após sentir na pele um sistema de injustiças.

Natália Pasternak

A microbiologista ganhou destaque em 2020 graças a seu trabalho de divulgação científica e combate à desinformação em meio à pandemia de covid-19. Com a chegada das vacinas, e a ciência ganhando cada vez mais importância no dia a dia, os esclarecimentos sobre estudos e pesquisas científicas, em linguagem acessível, são fundamentais.

Nath Finanças

A jovem Nathália Rodrigues, mais conhecida como Nath Finanças, realiza um trabalho de educação financeira nas redes sociais e em seu canal no YouTube, voltado especialmente a população de baixa renda. Adotando uma linguagem simples e didática, ela conquistou o público com dicas sobre economia, poupança e investimentos. Logo nos primeiros dias de janeiro, ela lançará seu primeiro livro "Orçamento sem falhas".

Renata Silveira

Em 2021, a jornalista esportiva carioca se juntará à equipe de locutores da Globo e se tornará a primeira mulher a narrar partidas de futebol pela emissora. Ao longo de sua cerreira, Silveira já narrou partidas de eventos de grande porte como a Copa Libertadores da América, a Liga dos Campeões Feminina e a Copa do Mundo de 2018, incluindo alguns jogos do Brasil. Sua contratação representa um avanço para as mulheres que trabalham com esporte, principalmente em assuntos relacionados ao futebol.

*estagiária, sob supervisão de Renata Izaal