Feminicídio em Nova Iguaçu: vizinha relata histórico de agressões do marido contra a vítima e os filhos

·2 min de leitura

Preso no último domingo no Hospital da Posse por policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, Ivo Batista Gaudêncio, de 37 anos, que confessou ter matado a esposa, Nathália Amanda Brasil, de 33 anos, tinha um histórico de agressões contra a vítima e os filhos e enteados, de acordo com vizinhos.

O corpo de Nathália foi encontrado carbonizado dentro do porta-malas do carro dela na semana passada na Rua Doutor Luiz Carlos, em Nova Iguaçu. No mesmo dia, Ivo Batista deu entrada no Hospital Geral de Nova Iguaçu com queimaduras de segundo grau provocadas por gasolina nos pés, pernas, braço e na barriga. Ele foi preso depois que teve alta.

Segundo uma vizinha, que preferiu não se identificar, o marido de Nathália saiu para buscá-la na estação de Nova Iguaçu, e ela não foi mais vista. Ela teria dito para ele que queria se separar.

— Ele é um cara muito complicado, brigava com todo mundo. Batia nela e nos filhos, então o histórico já é de agressão mesmo — diz a vizinha.

Nathália tinha quatro filhos de idades entre 2 e 15 anos, os dois mais novos, um de 2 anos e outro de 11 anos de idade, são filhos de Ivo. A vizinha conta que já chegou a chamar a polícia duas vezes para denunciar agressões por parte do marido da vítima.

— Eu chamava os moradores para ele parar de bater nas crianças — conta.

Segundo a Polícia Civil, Ivo mentiu em depoimento dizendo que ele e Nathália teriam sido sequestrados e que os criminosos também atearam fogo nele. Porém, imagens de câmeras de segurança mostraram que a versão apresentada por ele era falsa. Em um segundo depoimento, Ivo acabou confessando o crime, e disse que bateu com a cabeça da vítima no porta-malas do carro, a trancou dentro do veículo e colocou fogo.

A motivação do crime, segundo os policiais, teria sido ciúmes por causa de mensagens visualizadas no celular da vítima.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos